Geral

Por medo e falta de opção, moradores do Dom Antônio Barbosa passam o carnaval em casa

Folia, festa, carnaval? Se você passar pelo bairro Dom Antônio Barbosa, região sul de Campo Grande, neste fim de semana, vai encontrar o bairro deserto e sem vestígios da festa. A reportagem conversou com os moradores, que revelaram que por medo e falta de opção, preferem passar o carnaval em casa. Dona de loja de modas, […]

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 16h26

None
48935431.jpg

Folia, festa, carnaval? Se você passar pelo bairro Dom Antônio Barbosa, região sul de Campo Grande, neste fim de semana, vai encontrar o bairro deserto e sem vestígios da festa. A reportagem conversou com os moradores, que revelaram que por medo e falta de opção, preferem passar o carnaval em casa.

Dona de loja de modas, Josilene Conceição, de 37 anos, mora no bairro há 12 anos e afirma que nunca teve carnaval no Dom Antônio. “Não tem nada no bairro, é muito perigoso. Nem praça tem. Começaram a construir uma, mas pararam faz dois anos”, conta.

Outro comerciante do bairro, Lindomar Mendes, de 37 anos, usa o carnaval em prol de seu negócio. “Aproveito para limpar a rua, que vive com poeira. No carnaval fica sem movimento, aí organizo meu comércio”, explica, ressaltando que o bairro é “esquecido” pela prefeitura.

Sem opção, os jovens do bairro vão juntos de ônibus para o centro da cidade curtir o carnaval. É o que conta Carlos Soares Reis, de 21 anos. “Eles vão todos juntos, vai bastante gente. Fica deserto o bairro”. Carlos diz ser “até bom” não ter carnaval no bairro. “Seria muito perigoso”.

As mães que querem levar os filhos às matinês só têm a escola como opção. Greiciele Vitória, de 24 anos, voltava com o filho José Everton, de 5 anos, de matinê na escola. “Carnaval só na escola. No bairro não tem, é perigoso”, frisou.

E o medo de sair de casa no carnaval é unânime entre os moradores. Alexandre Henrique, de 18 anos, e Eidiane Figueiredo, de 21 anos, ficam em casa. “Muita confusão, muita briga aqui. Vamos ficar em casa, assar uma carne”, planeja Alexandre.

Jornal Midiamax