Geral

PF realiza amanhã paralisação pela ‘Marcha dos Elefantes Brancos’

A partir das 8h30 de amanhã (11), os agentes federais vão realizar uma Caravana saindo de Ponta Porã com destino a Campo Grande, pela paralisação pela ‘Marcha dos Elefantes Branco: Queremos uma Segurança Pública Padrão Fifa’. A intenção é se reunir com as demais caravanas do Estado para seguirem até Brasília (DF), onde participarão da […]

Arquivo Publicado em 10/03/2014, às 15h13

None

A partir das 8h30 de amanhã (11), os agentes federais vão realizar uma Caravana saindo de Ponta Porã com destino a Campo Grande, pela paralisação pela ‘Marcha dos Elefantes Branco: Queremos uma Segurança Pública Padrão Fifa’. A intenção é se reunir com as demais caravanas do Estado para seguirem até Brasília (DF), onde participarão da manifestação que ocorre na quarta-feira (12), com agentes da PF (Polícia Federal) de todo o país. 

Os federais vão fazer uma passeata com centenas de policiais vindos de todas as partes do país, com enormes elefantes brancos infláveis, que simbolizam a burocracia e a politicagem na Segurança Pública, na quarta-feira (12), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. 
A Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) representa sindicalmente mais de 20 mil policiais federais, e protesta por uma Segurança Pública eficiente, “padrão Fifa”. A entidade denuncia que servidores burocratas, sem experiência operacional em campo, estão sendo indicados por critérios políticos para planejarem e coordenarem a segurança da Copa 2014. 
Eles reclamam do trabalho de prevenção que não tem sido feito. Os policiais federais criticam o sensacionalismo usado para divulgar estatísticas improdutivas, e para anunciar medidas paliativas, que só surtirão efeito se forem utilizadas para combater tragédias, que podem ser evitadas. 
Para os investigadores, as maiores fragilidades da Segurança Pública no Brasil estão nas fronteiras e nos aeroportos. Nestas duas frentes o que se observa são falhas graves de gestão, enquanto são gastos milhões em soluções maquiadas “para inglês ver”. 
Segundo Jones Borges Leal, presidente da Fenapef, “em todos os aeroportos e unidades de fronteiras brasileiras, sem exceção, não existe uma quantidade suficiente de agentes federais para cuidar do policiamento aeroportuário, de fronteiras e combate ao crime organizado. Em alguns aeroportos não tem nenhum. E infelizmente mais de 250 policiais federais abandonam a profissão todos os anos, pois a carreira tem sido duramente sucateada pelo governo”.
 O governo federal anunciou que caças estarão em alerta para abater as ameaças durante a Copa. Mas a federação protesta contra o descaso com o policiamento aeroportuário, e abandono de agentes federais treinados e experientes. Afinal, é mais inteligente evitar o embarque de um terrorista, e não ter que abater um voo comercial com 300 passageiros em áreas urbanas.
Jornal Midiamax