Geral

Pedidos de municípios ultrapassam valor de emendas individuais, diz Márcio Fernandes

“Não sei por que ele falou isso”, disse na manhã desta segunda-feira o vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, Márcio Fernandes (PT do B), em relação a alfinetada do governador, André Puccinelli (PMDB), feita aos parlamentares. No sábado (22), o chefe do Executivo disse que “dinheiro na mão é vendaval” e, por isso, não aumentava […]

Arquivo Publicado em 24/03/2014, às 14h27

None
1420330305.jpg

“Não sei por que ele falou isso”, disse na manhã desta segunda-feira o vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, Márcio Fernandes (PT do B), em relação a alfinetada do governador, André Puccinelli (PMDB), feita aos parlamentares. No sábado (22), o chefe do Executivo disse que “dinheiro na mão é vendaval” e, por isso, não aumentava o valor das emendas individuais, atualmente fixado em R$ 800 mil.

Fernandes comenta que os pedidos vindos dos municípios ultrapassam esse valor. Por isso, lembra, no início do ano houve reunião entre os parlamentares e o governador com objetivo de elevar esse montante para R$ 1 milhão.

No entanto, Puccinelli negou dar o aumento, afirmando que o Estado não tinha saúde financeira pra tal. No sábado, em tom de ironia, ele jogou a culpa para os deputados: “não dou dinheiro na mão, dou em ações, porque já viu aquela música não é, dinheiro na mão de deputado é vendaval”, alfinetou.

Um dia antes, o governador reclamou, durante discurso em uma escola de Campo Grande, da ausência de parlamentares na ocasião. “Eu puxo a orelha porque eu chamo todos os deputados para participar. Chamo porque dou R$ 800 mil em indicações”.

Jornal Midiamax