Geral

Pai de Neymar vê oportunismo e critica Santos por ‘pior negócio do mundo’

Por meio do site oficial de Neymar, o pai do jogador do Barcelona voltou a criticar as declarações de Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente licenciado do Santos, e de Delcir Sonda, dono do grupo DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos da Joia. No comunicado, Neymar da Silva Santos classifica declarações do clube e […]

Arquivo Publicado em 20/02/2014, às 23h14

None
1429537436.jpg

Por meio do site oficial de Neymar, o pai do jogador do Barcelona voltou a criticar as declarações de Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente licenciado do Santos, e de Delcir Sonda, dono do grupo DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos da Joia. No comunicado, Neymar da Silva Santos classifica declarações do clube e da empresa como “equívocos e maldades”, negando problemas com o Ministério Público, a Receita Federal ou a suspeita de lavagem de dinheiro em investigação na Justiça espanhola. Além disso, o pai do principal jogador da Seleção Brasileira ainda afirma que a venda de Neymar foi “o pior negócio do mundo” diante da possibilidade de mais lucro.


“Considerávamos essa diretoria ou o grupo gestor sérios. Fizeram com que o maior projeto de carreira desenvolvido para um atleta brasileiro se transformasse no pior negócio do mundo por não aceitarem o resultado final do projeto elaborado pelo próprio Santos no seu departamento de marketing, em 2010. Creio que somente uma das partes acreditou, minha família”, escreveu o pai de Neymar, citando a possibilidade de Neymar sair do Santos de graça em 2014, quando acabaria seu contrato. A ideia do staff do jogador era de levá-lo à Europa após o encerramento do vínculo.”


Ao canal SporTV, Luis Álvaro chegou a dizer que o pai de Neymar era cafajeste e mau caráter, e que teria que responder à Justiça sobre os 40 milhões de euros (cerca de R$ 130 milhões) recebidos pelas empresas do pai do jogador. O Santos e sua atual diretoria, presidida por Odílio Rodrigues, já acionou juridicamente as empresas por conta dos adiantamentos. Nesta quinta-feira, o juiz espanhol Pablo Ruz aceitou o caso apontando para a possibilidade de “possível delito contra a Fazenda Pública”, e obrigando o Barcelona a responder como pessoa jurídica no processo que será aberto. Ruz já investiga Sandro Rossel, ex-presidente do Barça, que renunciou ao cargo quando o caso estourou na Espanha.


“Temos três presidentes. Um (Rossel, do Barcelona) sai, dizendo ter problemas pessoais quando o assunto da transferência Neymar era pauta de discussão. Os outros dois (Luis Álvaro e Odílio) diziam que não autorizaram nada, mesmo a gente tendo isso por escrito. Se for dessa forma todos os contratos que o Neymar assinou com o Santos não valeram nada. Mas me parece oportunismo este assunto, ou talvez política interna”, disse o pai de Neymar, que ainda fez outra insinuação em tom de ameaça ao clube alvinegro.


“Algumas matérias da imprensa falam que o Santos deve à Rede Globo de Televisão 10 milhões de reais por conta da saída do Neymar do clube antes da hora. Então, agora eu vou cobrar do clube pois, até então, a imagem do Neymar era 90% da minha empresa; Devo entrar com uma ação judicial contra Santos e a Rede Globo exigindo os documentos? Ética de quem? Dois pesos, duas medidas”, escreveu, ao resumir a postura do Santos como uma “ilusão de ética”.

Jornal Midiamax