Geral

Organização pede à Unasul para atuar em caso de abusos na Venezuela

A organização Human Rights Watch (HRW), que atua na defesa dos direitos humanos, pediu hoje à União de Nações Sul-americanas (Unasul) para “estimular o governo venezuelano a abordar imediatamente a grave situação na área”, em carta enviada a vários ministros dos Negócios Estrangeiros. A carta refere-se a um relatório da HRW sobre a situação no […]

Arquivo Publicado em 26/06/2014, às 10h34

None

A organização Human Rights Watch (HRW), que atua na defesa dos direitos humanos, pediu hoje à União de Nações Sul-americanas (Unasul) para “estimular o governo venezuelano a abordar imediatamente a grave situação na área”, em carta enviada a vários ministros dos Negócios Estrangeiros. A carta refere-se a um relatório da HRW sobre a situação no país sul-americano desde o início, em 12 de fevereiro, das manifestações que ocorrem quase diariamente.


“Enquanto diversos organismos internacionais, incluindo relatores de direitos humanos das Nações Unidas e do Parlamento Europeu, expressaram a sua preocupação com as violações de direitos humanos na Venezuela, a Unasul não condenou os gravíssimos abusos cometidos por agentes estatais venezuelanos”, diz o diretor da HRW para as Américas, José Miguel Vivanco.


A carta foi endereçada aos ministros dos Negócios Estrangeiros da Argentina, do Brasil, Chile, da Colômbia, do Equador, Peru e Uruguai.


A organização de defesa dos direitos humanos apela à Unasul para que “perante a inexistência, na Venezuela, de um poder judicial independente capaz de travar os abusos do governo (…) exorte a administração de [Nicolás] Maduro a proteger os direitos dos manifestantes”, em alusão ao Tratado Constitutivo da Unasul de 2008.


O tratado estabelece que “tanto a integração quanto a união sul-americana se fundam nos princípios da democracia – participação cidadã e pluralismo e direitos humanos universais, indivisíveis e interdependentes”, lembra a HRW.

Jornal Midiamax