Operação do Gaeco que prendeu ex-prefeito investiga esquema de fraudes em licitações

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) divulgou na tarde desta terça-feira (5), o resultado da ‘Operação Carta Marcada’, deflagrada em três cidades de Mato Grosso do Sul. Três pessoas foram presas, entre elas, o ex-prefeito de Bela Vista, Abraão Zacarias. As investigações do Gaeco apuram um esquema de fraude a […]
| 05/08/2014
- 23:00
Operação do Gaeco que prendeu ex-prefeito investiga esquema de fraudes em licitações

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) divulgou na tarde desta terça-feira (5), o resultado da ‘Operação Carta Marcada’, deflagrada em três cidades de Mato Grosso do Sul. Três pessoas foram presas, entre elas, o ex-prefeito de Bela Vista, Abraão Zacarias. As investigações do Gaeco apuram um esquema de fraude a licitações.

Conforme o Gaeco, na casa do ex-prefeito foram encontradas quatro armas de fogo e ele foi preso por porte de arma. Também foi encontrada uma grande quantidade de documentos pertencentes à prefeitura de Bela Vista, da época em ele ocupou o cargo de prefeito. Ainda na casa do ex-prefeito foram apreendidos três revólveres calibre 38, um revólver calibre 357, de uso restrito, além de diversas munições. Zacarias foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Bela Vista, onde está sendo ouvido em declarações.

Além de Zacarias, foram presos Alcyr Mendonça, vereador em Bela Vista e Eudo Loureiro Pinheiro Neto, empresário. No total foram cumpridos onze mandados de busca e apreensão em Bela Vista.

Na casa do vereador Alcyr Mendonça foram apreendidos documentos e R$ 48 mil em dinheiro. Nos demais endereços, foram apreendidos documentos referentes a contratos de empresas com a prefeitura local, além de quantia em dinheiro.

Rio Brilhante – Foi preso o funcionário público municipal Dionisio Chimemes Filho, que ocupou em 2013, cargo na comissão permanente de licitação de Bela Vista. Com ele foram apreendidos documentos, dentre eles cópia de diversos contratos firmados entre empresas e a Prefeitura de Bela Vista.

Campo Grande – Na Capital as buscas foram na sede da empresa Egs Comércio e Serviços Ltda, onde foram apreendidos carimbos do Fisco de MS e MT, notas fiscais em branco e documentos referentes a contratos da empresa com a prefeitura de Bela Vista e outras prefeituras do interior.

A prisão temporária dos envolvidos foi decretada pelo Poder Judiciário pelo prazo de cinco dias. Os mandados de prisão são cumpridos por policiais militares e a operação conta com o apoio da Polícia Civil.

A operação foi deflagrada em apoio à Promotoria de Justiça da Comarca de Bela Vista para o cumprimento de mandados de busca e apreensão e prisão temporária expedidos pelo Juízo da Vara Única da Comarca de Bela Vista. A operação contou com a participação de 30 Policiais Militares do Gaeco e quatro promotores de Justiça.

Últimas notícias