Geral

Olarte faz apelo para prefeitos de outros municípios sobre envio de pacientes para a Capital

Durante a ativação do sistema Internet Morena e instalação de totens informativos no UPA Coronel Antonino, o prefeito Gilmar Olarte (PP) apelou para os prefeitos dos municípios sobre o envio de pacientes para a Capital. Segundo ele, na unidade de saúde 24 horas, o atendimento para moradores de outras cidades chega a 30%. “Fica aqui […]

Arquivo Publicado em 11/08/2014, às 21h09

None

Durante a ativação do sistema Internet Morena e instalação de totens informativos no UPA Coronel Antonino, o prefeito Gilmar Olarte (PP) apelou para os prefeitos dos municípios sobre o envio de pacientes para a Capital. Segundo ele, na unidade de saúde 24 horas, o atendimento para moradores de outras cidades chega a 30%. “Fica aqui nossa súplica, que os prefeitos do interior nos ajudem dando resolutividade em seus municípios”, disse Olarte.

“Pegamos a Prefeitura em cinco meses, e estamos dando algumas respostas para a população. Arrendamos o Sírio-Libanês e em breve teremos uma equipe para atender a população, enquanto em São Paulo, a Santa Casa, a maior do país, fecha devido o caos da saúde no Brasil”, afirmou Olarte, que ressaltou que a Santa Casa de Campo Grande está sendo sanada.

O chefe do Executivo afirmou que assumiu a Prefeitura há cinco meses, com R$ 400 milhões a menos na receita, e considerou que a saúde pública municipal saiu do “coma”. “Não vai se resolver do dia para a noite, e vamos evoluindo. Temos hoje quase 90% de medicamento à disposição, e há uma lista de medicamentos disponíveis na farmácia popular. Estamos saindo do coma, mas das 700 pessoas que atendemos neste posto de saúde, 20% são do interior. São 140 pessoas a mais que deveriam ter sido atendidos em suas cidades”, disse.

Segundo Olarte, como a demanda vem do interior, não há como mensurar a quantidade de leitos necessários atender a população. “O que precisa é os hospitais das regiões fazer seu dever de casa. Conversei com o Ministério Público, mas falamos sobre medicamentos. Não é necessário fazer um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), mas mudar as ações”, afirmou o prefeito.

Jornal Midiamax