Geral

Olarte diz que Ministério deve liberar ‘ajuda’ em 40 dias para equilibrar Santa Casa

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), afirmou na manhã deste domingo (1º) que a Santa Casa terá ajuda de mais de R$ 3 milhões para reduzir o déficit mensal em 40 dias. Segundo ele, o Ministério da Saúde aumentaria o teto do governo do Estado que repassaria o recurso para a administração municipal […]

Arquivo Publicado em 01/06/2014, às 16h27

None

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), afirmou na manhã deste domingo (1º) que a Santa Casa terá ajuda de mais de R$ 3 milhões para reduzir o déficit mensal em 40 dias. Segundo ele, o Ministério da Saúde aumentaria o teto do governo do Estado que repassaria o recurso para a administração municipal que encaminharia para o hospital.


“Ele vai aumentar o teto do governo do Estado. E nós temos uma aliança entre Santa Casa, prefeitura municipal e governo do Estado, em aumentando o teto de recurso para Mato Grosso do Sul o governador assumiu compromisso de repassar esses valores para equilibrar a Santa Casa”, explicou o prefeito.


O repasse dos mais de R$ 3 milhões, segundo o prefeito, equilibraria a situação da Santa Casa e poderia usufruir dos benefícios da anistia dos programas federais que estava com risco de perder.


“Quando fechar toda essa situação que é nos próximos 40 dias, ela disponibiliza os R$ 30 e poucos milhões que estão retidos do empréstimo que ficaram retidos como garantia”, pontuou prefeito. Além disso, o ministro ficou de liberar recursos para a reforma do hospital.


Por outro lado, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, esteve no Estado na última sexta-feira (30) e disse que o aumento do repasse está em análise técnica e que existem outras possibilidades de ajuda para o hospital como o refinanciamento da dívida.


O governador André Puccinelli (PMDB), o prefeito, acompanhados por diretores da Associação Beneficente de Campo Grande, mantenedora da Santa Casa, entregaram no Ministério da Saúde um pedido de aumento no repasse para o hospital em R$ 3,5 milhões. Atualmente, a unidade hospitalar recebe R$ 1,5 milhão mensal de repasses do governo estadual, municipal e federal, mas o déficit financeiro de R$ 4,4 milhões.

Jornal Midiamax