Geral

MS é um dos quatro Estados do Brasil com menor número de cheques sem fundos

De todos os cheques compensados no ano passado, 2% foram sem fundos, número que caiu em relação a 2012. Em Mato Grosso do Sul o índice é até menor que a média nacional no ranqueamento divulgado neste mês pela Serasa Experian, empresa setorizada em serviços de informação sobre clientes e líder na América Latina no […]

Arquivo Publicado em 24/01/2014, às 17h23

None
547149694.png

De todos os cheques compensados no ano passado, 2% foram sem fundos, número que caiu em relação a 2012. Em Mato Grosso do Sul o índice é até menor que a média nacional no ranqueamento divulgado neste mês pela Serasa Experian, empresa setorizada em serviços de informação sobre clientes e líder na América Latina no ramo.

Durante 2013, os bancos no País inteiro compensaram 838.178.679 cheques, sendo que 16.801.647das ordens de pagamento foram sem fundos. Desse montante, Mato Grosso do Sul contribuiu com 256.700 ocorrências de devoluções, sendo  março o período de mais registro, 14% maior que a média do ano. O Estado apareceu na lista apenas na 24ª posição, tendo o percentual de 1,56% do total com irregularidades.

Roraima no Ranking da Serasa Experian ocupou a liderança nos cheques sem fundo de todo o Brasil, com 11,6% das ordens de pagamento tendo devolução. O indicador é 753% mais inadimplente que Mato Grosso do Sul. Nas dez primeiras posições a região Nordeste é a que tem maior incidência com ( 2º) Sergipe, (3º) Piauí, (5º) Maranhão, (7º) Paraíba, (8º)Alagoas e (10º) Rio Grande do Norte.

Por outro lado a região Sul é do País a que demonstrou em 2013 o menor número de cheques devolvidos com o percentual médio de 1,92% do total emitido. O Rio Grande do Sul só aparece na 20ª posição com o indicador de 1,95%, seguido do Paraná com 1,94 e Santa Catarina surge logo depois nos 1,88%.

Os três Estados sulistas ainda assim tiveram mais cheques devolvidos que Mato Grosso do Sul. Exceção na região Norte, o Amazonas é o lugar com menor número de devoluções nesse gênero de ordem de pagamento no País, onde se registra apenas 1,37% do indicador.

Jornal Midiamax