MPE aguarda fim do prazo para se posicionar sobre ampliação de leitos hospitalares

A Promotoria de Justiça vai aguardar o fim do prazo da Recomendação, que solicitava ampliação dos leitos hospitalares, para tomar alguma posição, apesar das propostas apresentadas pela Prefeitura de Campo Grande (MS). A promotora responsável pela Recomendação, Filomena Depólito Fluminhan, alegou que saiu da reunião, entre o Ministério Público e representantes do setor de saúde d...
| 22/08/2014
- 16:58
MPE aguarda fim do prazo para se posicionar sobre ampliação de leitos hospitalares

A Promotoria de Justiça vai aguardar o fim do prazo da Recomendação, que solicitava ampliação dos leitos hospitalares, para tomar alguma posição, apesar das propostas apresentadas pela Prefeitura de Campo Grande (MS).

A promotora responsável pela Recomendação, Filomena Depólito Fluminhan, alegou que saiu da reunião, entre o Ministério Público e representantes do setor de saúde de Campo Grande, na última quarta-feira (20), “sem convicção de que a falta de leitos na Capital será solucionado dentro dos prazos estipulados na Recomendação”.

De acordo com o Ministério Público, a promotoria vai aguardar o fim do prazo estipulado para se posicionar a respeito da falta de leitos, além das medidas e soluções paliativas que o município pretende adotar emergencialmente.

No entanto, ressalta a promotora, qualquer medida paliativa apenas minimiza o problema, que é ‘histórico e crescente’, nos hospitais e UPAS.

Diante disso, a promotoria preferiu aguardar a implantação das propostas apresentadas pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e Secretaria Estadual de Saúde. Na quarta-feira (20), participaram da reunião também representantes do Hospital Regional, Hospital Universitário, Santa Casa de Campo Grande e Hospital do Câncer.

Na ocasião, a Sesau se comprometeu a desativar alas de enfermaria na Santa Casa e Hospital Regional, para transformá-las em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O secretário de saúde, Jamal Salem, afirmou que mais 22 vagas serão criadas no prazo de 10 dias.

O MPE recomendou na última semana ao município e ao prefeito de Campo Grande (MS) a disponibilização, em um prazo de 10 dias, leitos hospitalares, por meio de rede própria, conveniada ou contratada. A Recomendação solicitava, ainda, que fossem criados leitos necessários para atender os pacientes internados irregularmente há mais de 24 horas nas UPAS (Unidade de Pronto Atendimento).

Últimas notícias