Geral

Morre cinegrafista atingido por rojão durante protesto no Rio

O cinegrafista Santiago Andrade, de 49 anos, teve morte cerebral nesta segunda-feira (10), após ter sido atingido na cabeça por um rojão durante protesto no Centro do Rio, na quinta-feira (6), contra o aumento das passagens de ônibus. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde. Santiago, que teve afundamento do crânio e perdeu […]

Arquivo Publicado em 10/02/2014, às 15h21

None

O cinegrafista Santiago Andrade, de 49 anos, teve morte cerebral nesta segunda-feira (10), após ter sido atingido na cabeça por um rojão durante protesto no Centro do Rio, na quinta-feira (6), contra o aumento das passagens de ônibus. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde.

Santiago, que teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda, foi submetido a uma cirurgia para diminuir a pressão craniana, assim que chegou ao Hospital Souza Aguiar. No sábado, uma tomografia comprovou que a hemorragia havia sido controlada, mas o estado de saúde do cinegrafista piorou.

Santiago tinha mais de 20 anos de profissão e trabalhava há 10 anos na Rede Bandeirantes. Ele era casado e tinha quatro filhos.

Através de imagens do momento em que o cinegrafista foi atingido pelo rojão, foi identificado o tatuador Fábio Raposo como o homem que entregou o artefato para o suspeito de acender o  rojão. Ele se apresentou na 17ª DP (São Cristovão) no sábado (8) e confirmou à polícia ter passado o rojão, mas destacou que não conhecia o suspeito de lançá-lo.

Fábio Raposo foi detido em casa no domingo, após ter o mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio. Ele foi levado para a cadeia pública de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

Jornal Midiamax