Geral

Moradores da Vila Ferroviária se revoltam com bloqueio de acesso ao pátio da estação

Moradores da Vila Ferroviária, em Campo Grande, estão revoltados com o fechamento da entrada do pátio que dá acesso à garagem das residências. De acordo com os moradores, na manhã deste sábado (22) começaram a cercar a área de acesso e também foi colocado um portão para impedir o acesso ao pátio da antiga estação. […]

Arquivo Publicado em 22/03/2014, às 20h44

None
695422467.jpg

Moradores da Vila Ferroviária, em Campo Grande, estão revoltados com o fechamento da entrada do pátio que dá acesso à garagem das residências.

De acordo com os moradores, na manhã deste sábado (22) começaram a cercar a área de acesso e também foi colocado um portão para impedir o acesso ao pátio da antiga estação.

Segundo Rildo da Silva Nazareth, os residentes da vila estão tendo problemas para colocar seus veículos nas garagens com o fechamento de acesso ao pátio. “A frente das nossas casas é para o lado do pátio da estação e agora eles fecharam não tem como guardarmos os carro”, reclama.

Silva disse que a área é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e por isso qualquer mudança na arquitetura da vila tem que ter autorização do órgão. Ainda segundo Silva, o grupo aproveitou que funcionário público não tem expediente no fim de semana para cercar as duas entradas do pátio da antiga estação ferroviária, onde se localiza a rotunda.

Outro morador que está bastante indignado com a situação é o aposentado Edmar José. Ele afirma que não consegue tirar o carro da garagem porque a entrada está fechada. “Meu carro está preso na garagem e não tem como sair, vou pedir como para os caras para sair”, questiona.

São cerca de 10 residências que os proprietários estão impedidos de entrar ou sair com seus carros da garagem porque em uma das entradas pela Rua 14 de Julho um portão está trancado com cadeado e a outra, pela Eça de Queiroz está sendo cercada.

A reportagem entrou em contato com Marcos Morengo e Diniz Garcia, responsáveis pelo fechamento da área, e os dois explicaram que são funcionários do proprietário do espaço e que essa é uma medida para tornar o local mais seguro.

De acordo com Garcia, a área pertence a família Azuaga e que os proprietários acharam melhor cercar e limpar o local porque estava muito abandonado e no local já aconteceram vários problemas.

Morengo explicou também que o portão e a cerca não são para prejudicar nenhum morador e na hora que eles quiserem entrar e sair com seus carros está livre o acesso. “”O proprietário não quer prejudicar ninguém, ele só está fechando para proteger a área dele que ainda está desocupada”, afirma.

Mesmo com as afirmações dos funcionários os moradores disseram que irão procurar o Iphan e a prefeitura para saber se isso é possível e legal, já que a área é tombada.

Jornal Midiamax