Geral

Ministério Público apura responsabilidade da prefeitura por aterro improvisado da Unei

Por intermédio da 26ª Promotoria de Defesa do Meio Ambiente da Comarca de Campo Grande, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul instaurou ontem (24) um inquérito civil para apurar a responsabilidade do Município de Campo Grande e da empresa CG Solurb pela descontinuidade do serviço da coleta de lixo produzida pela Unei Dom […]

Arquivo Publicado em 25/01/2014, às 14h07

None

Por intermédio da 26ª Promotoria de Defesa do Meio Ambiente da Comarca de Campo Grande, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul instaurou ontem (24) um inquérito civil para apurar a responsabilidade do Município de Campo Grande e da empresa CG Solurb pela descontinuidade do serviço da coleta de lixo produzida pela Unei Dom Bosco.

O lixo acabou enterrado nas imediações da unidade, fazendo surgir um aterro sanitário improvisado, segundo o Ministério Público.

Em setembro do ano passado, a concessionária do serviço do lixo em Campo Grande chegou a suspender a coleta em toda a cidade por um dia em razão de atrasos do pagamento. A prefeitura questionava o contrato com a empresa e buscou na Justiça a possibilidade de fazer nova concorrência para a concessão.

O inquérito está sob responsabilidade do promotor de Justiça Luiz Antônio Freitas de Almeida.

Jornal Midiamax