Geral

Midiamax lidera campanha para Campo Grande ser maior produtora de energia solar

Campo Grande é a primeira colocada na campanha do Instituto Ideal (Instituto de Desenvolvimento de Energia Alternativa da América Latina) para cobertura de telhados com painéis de energia solar produzindo eletricidade e o Midiamax, em parceria com a empresa Solar Energy do Brasil, vai instalar nos altos da Avenida Afonso Pena painéis de produção própria […]

Arquivo Publicado em 31/08/2014, às 02h00

None

Campo Grande é a primeira colocada na campanha do Instituto Ideal (Instituto de Desenvolvimento de Energia Alternativa da América Latina) para cobertura de telhados com painéis de energia solar produzindo eletricidade e o Midiamax, em parceria com a empresa Solar Energy do Brasil, vai instalar nos altos da Avenida Afonso Pena painéis de produção própria de energia para manter ligada a tela de LED.

Em todo o Brasil, 20 cidades participam do “50 Telhados Solares” e a Capital de Mato Grosso do Sul é a líder atual do ranking. Vence a cidade que conseguir implantar 50 telhados residenciais primeiro ou atingir a produção de 100 kWp de potência instalada. Participam cidades como Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e São Paulo.

O Midiamax será a primeira empresa de todo o Brasil a manter um painel de LED com eletricidade solar. Sócio-diretor do jornal, Carlos Eduardo Belineti Naegele explica que o painel da Afonso Pena servirá de exemplo na cidade.

“O painel foi escolhido pela visibilidade. Nós já priorizamos a tecnologia que respeita o meio ambiente ao utilizarmos o LED e agora daremos o exemplo com a produção própria de energia”.

Posteriormente, o projeto será expandido para outros dois painéis da empresa. Representante da empresa Solar Energy do Brasil, Hewerton Elias Martins explica que quanto mais a energia própria for produzida, menor o impacto ambiental.

“A empresa usará energia própria, mantendo água nas represas e preservando o meio ambiente, já que a produção própria de eletricidade não causa impacto nenhum”.

O projeto já tem o alvará da Prefeitura de Campo Grande e da Enersul e deve estar completamente instalado em julho.

Economia

Um cliente que faz parte da campanha residencial lançada em Campo Grande gastava, em abril de 2013, R$ 564,69 em energia elétrica. Dez meses após a instalação dos painéis, a casa consome apenas R$ 44,27 em energia, pagando a taxa mínima exigida por lei.

Coordenado pelo Instituto Ideal, o projeto é executado localmente por empresas instaladoras que, em 24 meses, devem alcançar a meta de instalar 50 telhados fotovoltaicos de 2 kWp (ou 100 kWp de potência total instalada). Com isso, a geração anual estimada ficaria em torno de 130 MWh em cada cidade.

O objetivo do Instituto Ideal é implementar o projeto em pelo menos 20 cidades brasileiras durante o ano de 2014. Essas cidades se tornarão referência nacional na utilização de energia oriunda do sol, matéria-prima livre e inesgotável.

Com tal ação, entre os anos 2014 e 2015 o Brasil teria instalado o equivalente ao projeto alemão “1.000 telhados”, responsável por impulsionar a energia solar fotovoltaica na Alemanha. Contudo, no caso brasileiro, isso seria alcançado sem qualquer tipo de incentivos nas tarifas de energia elétrica vigentes.

Qualquer empresa de engenharia e de instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar do projeto como empresa executora, desde que seja previamente aprovada pelo Instituto Ideal com base nos critérios de adesão estabelecidos.

Jornal Midiamax