Geral

Menino com tumor no cérebro levado de hospital por pais é encontrado na Espanha

Um menino de cinco anos com um tumor cerebral que foi levado por seus pais de um hospital na Grã-Bretanha foi encontrado na Espanha. A polícia de Hampshire disse que o garoto, Ashya King, e seus pais foram localizados perto da cidade espanhola de Málaga. Os funcionários de um hotel reconheceram a família e alertaram […]

Arquivo Publicado em 31/08/2014, às 10h17

None
1240105875.jpg

Um menino de cinco anos com um tumor cerebral que foi levado por seus pais de um hospital na Grã-Bretanha foi encontrado na Espanha.


A polícia de Hampshire disse que o garoto, Ashya King, e seus pais foram localizados perto da cidade espanhola de Málaga. Os funcionários de um hotel reconheceram a família e alertaram a polícia.


Ashya foi levado do Southampton General Hospital sem consentimento médico. Ele é alimentado por um equipamento complexo e as baterias, destinadas apenas para uso temporário, não podem ser facilmente substituídas, o que gerou preocupações sobre sua saúde. O desaparecimento gerou comoção internacional.


Um oficial da polícia de Hampshire disse que Ashya não demonstrou nenhum sinal de sofrimento ao ser encontrado. Autoridades britânicas deverão ir à Espanha para dar continuidade às investigações.


O garoto foi levado para um hospital em Málaga e seus pais foram presos, disse a polícia.


O pai, Brett King, defendeu a atitude do casal em um vídeo postado no YouTube, dizendo que a família estava em busca de um tratamento que não estava sendo oferecido a Ashya.


No vídeo, King disse que seu filho estava bem, indicando que o equipamento usado para alimentá-lo estava operando normalmente e pediu que a “perseguição ridícula” contra a família fosse interrompida.


Em busca de tratamentoSegundo King, ele e sua esposa, Naghemeh, estavam em busca de uma radioterapia com feixe de prótons – um tratamento que atinge os tumores diretamente – porque o casal não queria que Ashya fosse “atingido por radiação”.


“(A terapia com) feixe de prótons é muito melhor para as crianças com câncer no cérebro”, disse King no vídeo.


King disse que o casal tinha “implorado” à direção do Southampton para que Ashya recebesse o tratamento, mas eles teriam sido informados que ele não traria “nenhum benefício”. O Southampton General Hospital não respondeu às alegações feitas no vídeo.


A instituição de caridade Cancer Research UK disse que o tratamento com feixe de prótons só está disponível no sistema público de saúde da Grã-Bretanha para doenças oculares.


Segundo o grupo, países da Europa, o Japão e os Estados Unidos estão usando ou testando o tratamento para alguns tipos de câncer – próstata, pulmão, fígado e cérebro, cânceres infantis e também tumores na medula espinhal.


King disse que a família não estava “negligenciando” o menino e que Ashya estava “reagindo muito melhor” do que quando estava no hospital.


Não há previsão do retorno de Ashya para a Grã-Bretanha, e a equipe do Southampton General Hospital irá trabalhar com médicos em Málaga para decidir pela volta do menino.

Jornal Midiamax