Geral

Menina de 12 anos que fugiu de casa dormiu em praça e volta após 48 horas desaparecida

A jovem Thassila Natália Vasquez de Alvarenga, de 12 anos, que havia desaparecido no fim da tarde de sexta-feira (4), após voltar da escola, foi encontrada na noite de ontem. As buscas pela menina mobilizaram família e amigos, que fizeram campanhas nas redes sociais, além da Polícia Civil, que iniciou as investigações. Lígia Cristina Vera […]

Arquivo Publicado em 07/04/2014, às 10h36

None
1265334871.jpg

A jovem Thassila Natália Vasquez de Alvarenga, de 12 anos, que havia desaparecido no fim da tarde de sexta-feira (4), após voltar da escola, foi encontrada na noite de ontem. As buscas pela menina mobilizaram família e amigos, que fizeram campanhas nas redes sociais, além da Polícia Civil, que iniciou as investigações.

Lígia Cristina Vera Vasques Alvarenga, de 41 anos, mãe da menina contou que amigos da família encontraram a Thassila perambulando pelo Shopping Campo Grande. “Ela estava com medo de voltar pra casa, depois de tudo o que aconteceu”, frisa. 
A jovem dormiu próximo da casa, nas imediações e passava o dia no shopping. “Ela chegou a dormir em praças perto aqui de casa, um perigo, mas graças a Deus não aconteceu nada”, disse aliviada. 
SUMIÇO 
Há 48 horas, a menina voltava de carro com a mãe da escola, quando iniciaram uma briga. “Parei próximo ao prédio onde moramos e pedi para ela descer e ir para casa, pois não estava achando vaga. Ela obedeceu sem problemas. Em seguida, achei uma vaga e ao chegar na portaria fui informada que, ela não havia entrado em casa”, relembra Lígia Cristina. 
Desesperada, ela ligou para o marido e pai da Thassila e avisou sobre o sumiço. “O celular dela ficou em casa, ela não levou ele pra escola”, fala e completa que eles ligaram para amigos da jovem, “ela não é de dormir fora de casa e nem de sair, esse foi um dos motivos da briga”. 
A mãe afirma que ligou para amigos, parentes e até para a direção da escola, mas ninguém sabia dela. “Até a professora voltou ao colégio na tentativa de achá-la por lá, porém foi em vão”, lamenta. 
Thassila ligou por três vezes para a casa de telefones públicos. “A última ligação foi de frente ao shopping Campo Grande, conseguimos rastrear, isso foi às 22h30, daí em diante não tivemos mais notícias. Pela manhã fomos à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) e registramos o caso”, diz.
Jornal Midiamax