Geral

Meia bate de frente com Palmeiras sobre produtividade e pode deixar o clube

O meia Patrick Vieira não aceitou o contrato de produtividade no Palmeiras e pode deixar o clube. O jogador, que foi relacionado apenas duas vezes este ano, não tem sido aproveitado por Gilson Kleina e a recusa do modelo de contrato proposto pela diretoria pode explicar sua ausência na equipe. Ele está treinando, mas sequer […]

Arquivo Publicado em 25/02/2014, às 15h09

None

O meia Patrick Vieira não aceitou o contrato de produtividade no Palmeiras e pode deixar o clube. O jogador, que foi relacionado apenas duas vezes este ano, não tem sido aproveitado por Gilson Kleina e a recusa do modelo de contrato proposto pela diretoria pode explicar sua ausência na equipe. Ele está treinando, mas sequer fica no banco.

Segundo Julio Granja, seu agente, o contrato de produtividade foi recusado porque havia um acordo anterior com a diretoria. “A gente sentou e o Palmeiras no trouxe um numero inicialmente sem produtividade e depois mudou. Até então seria um contrato sem produtividade. Fizemos contraproposta, não chegamos a acordo e ninguém mais nos procurou”, disse. A última conversa foi com o gerente de futebol Omar Feitosa, em janeiro.

O jogador tem vínculo com o time alviverde até dezembro. Portanto, a partir de junho pode assinar pré-contrato com outro clube. Porém, de acordo com seu agente, essa não é sua intenção.

“Não aceitamos a produtividade, porque não era esse o acordo. Ele vai cumprir o contrato e, se o Palmeiras não se manifestar a renovar, vamos buscar novas alternativas. Não é o que ele quer, ele é palmeirense, muito grato ao clube”, afirmou.

Patrick iniciou as conversas para renovar ainda quando foi emprestado ao Yokohama FC, do Japão, no meio do ano passado. “As pessoas lá de dentro me falam que ele tem treinado bem, está fisicamente bem. Então não entendo o fato de ele não jogar”, reclama o empresário.

Jornal Midiamax