Geral

Matagal toma conta de canteiros em Campo Grande e vizinhos da Praça do Papa reclamam

Moradores da região da Praça do Papa, entre a Vila Sobrinho e o Residencial Flamingos, na região oeste de Campo Grande, reclamam do matagal e da falta de iluminação pública na região. Na avenida nova, prolongamento da Rua Dolores, que dá acesso à praça, o mato invadiu o canteiro central da via atrapalhando a visão […]

Arquivo Publicado em 05/02/2014, às 12h19

None
1229767963.jpg

Moradores da região da Praça do Papa, entre a Vila Sobrinho e o Residencial Flamingos, na região oeste de Campo Grande, reclamam do matagal e da falta de iluminação pública na região.

Na avenida nova, prolongamento da Rua Dolores, que dá acesso à praça, o mato invadiu o canteiro central da via atrapalhando a visão dos motoristas que trafegam pelo local, além do lixo que se acumula em uma área desocupada da prefeitura.

Na esquina da Rua Zaka Nahras Siuf e Avenida Américo o mato tomou conta da calçada, onde o imóvel se encontra abandonado, moradores do condomínio em frente do lote precisam caminhar pela rua porque a calçada está interditada pelo matagal.

De acordo com a aposentada Cecília Duarte, 64 anos, o matagal é um perigo para os moradores que além de acumular sujeira, pode esconder bandidos durante a noite por causa da falta de iluminação no local. “O mato e a sujeira é problema que enfrentamos constantemente, mas o pior é a iluminação que não existe e quando chega à noite é inviável passar por aqui”, reclama.

A aposentada diz que a prefeitura faz muitos eventos na região e deveria dar um destino melhor para a área desocupada que só acumula lixo e sujeira. “Já que a área está abandonada porque não constroem um centro do idoso que seria mais útil para a população”, ressalta.

Para Adelmo Aparecido da Silva, 49 anos, morador da região há mais de 15 anos toda a cidade está com muito mato em todos os bairros e isso é responsabilidade do prefeito manter a limpeza da cidade.

O vendedor afirma que trafega diariamente pela região é um transtorno tanto para os motoristas quanto para os moradores. “Olha a calçada cheia de mato, o canteiro nem se fala e isso atrapalha a nossa visão e a noite só piora com a falta de poste de iluminação que torna o local muito propenso para bandidos”, reclama.

De acordo com Silva durante a noite ele evita transitar pela avenida com medo de ser assaltado. Ele afirma que em relação ao lixo acumulado a responsabilidade é dos moradores que não cuidam do local e jogam a sujeira na área pública. “O povo deveria tomar consciência e não jogar lixo no local porque quem tem que cuidar são os moradores e não as autoridades”, conclui.

A assessoria da prefeitura informou de que o cronograma de limpeza está sendo feito e todos os dias no site da prefeitura são divulgados os locais onde as equipes estão para fazer a limpeza dos bairros. Em relação à iluminação não foi informada a previsão da instalação de postes de iluminação na avenida.

Conforme a assessoria a limpeza está ocorrendo normalmente, mas as chuvas têm colaborado para o rápido crescimento do mato.

Jornal Midiamax