Geral

Livro escolar da rede pública de Jundiaí erra nome de três Estados

Erros de grafia em um livro didático de geografia distribuído na rede oficial de ensino municipal de Jundiaí (a 58 km de São Paulo) fizeram com que a prefeitura notificasse a editora responsável pela obra e determinasse a substituição do material. A decisão foi tomada após a denúncia de uma mãe de aluno. Publicado pela […]

Arquivo Publicado em 09/04/2014, às 15h54

None
161516003.jpg

Erros de grafia em um livro didático de geografia distribuído na rede oficial de ensino municipal de Jundiaí (a 58 km de São Paulo) fizeram com que a prefeitura notificasse a editora responsável pela obra e determinasse a substituição do material. A decisão foi tomada após a denúncia de uma mãe de aluno.


Publicado pela Editora Mathema, o livro, que integra a Coleção Ciranda, é destinado ao ensino fundamental. Em uma das páginas do material, o nome do estado do Espírito Santo aparece grafado como “Espiritu Santo”. O Estado do Acre aparece com acento e Minas Gerais aparece como “Minas Gertais”. Na região Nordeste, que tem nove Estados, apenas quatro são identificados. Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas e Sergipe não foram indicados no material e o Distrito Federal não aparece.


A autora da denúncia foi Vanessa Marques, 34, mãe de um aluno de sete anos, do segundo ano do ensino fundamental. “Meu filho trouxe para casa o livro didático, oferecido pela Secretaria de Educação de Jundiaí. Que já chegou com um enorme atraso. Quando fui folhear o livro, percebi esse enorme erro no mapa geográfico do Brasil. É uma vergonha”, disse ela, que disponibilizou as imagens na rede social Facebook.

Erro


Segundo ela, o próprio filho também percebeu o erro antes que ela comentasse. “Pedi para ele achar o estado de Minas Gerais, e ele me apontou o erro. É tão grosseiro que até uma criança de sete anos sabe que está errado”, disse. “Isso porque, no material, consta o nome de oito revisores. E nenhum pegou os erros absurdos que estão no material”, disse.


A mãe ainda reclamou da qualidade do material e também do atraso na entrega de uniformes. “Meu filho chegou em casa e disse que a professora pediu para que o livro fosse encapado rápido, por conta da finura da capa. A própria professora disse que a capa do livro é bem mais fina do que a capa de um caderno de pior qualidade”, disse. “Isso sem falar nos uniformes, que ainda não foram entregues”, disse.

Outro lado


De acordo com a Secretaria de Educação de Jundiaí, a editora responsável pela obra foi notificada assim que o erro foi percebido. Ela deve corrigir os erros ortográficos apresentados no material didático e efetuar a distribuição de novas cópias. Isso deve ser feito, ainda segundo a assessoria, nos próximos dias. “Os professores estão sendo orientados para a substituição da mesma. A editora assume total responsabilidade pelo erro ortográfico”, disse, em nota, a assessoria.


Vanessa disse, no entanto, que, em contato com a Secretaria de Educação, foi informado a ela que o problema seria resolvido, mas não que o livro seria recolhido. “Eles disseram que, por ser um material de ótima qualidade, não iriam recolher, mas sim avisar aos professores do erro e pedir que eles trabalhassem o tema”, disse.

Sobre os uniformes, a expectativa é que o kit contendo o material seja entregue até o dia 22 de abril, ainda segundo a Secretaria de Educação.


A Editora Mathema foi procurada, por telefone, na manhã de hoje, para comentar o erro e quais ações iria tomar para resolver o problema. Foi dito que a responsável pela comunicação não poderia falar no momento, mas retornaria o contato, o que não ocorreu até o fechamento desta matéria.

Jornal Midiamax