Geral

Júlio César justifica Toronto: “Não dava pra escolher muito”

Júlio César está passando duas semanas na Disney, em Orlando. Não como turista. Ele é atração, assim como o atacante francês Thierry Henry. Porém, os dois ícones do futebol moderno estão encarando a pré-temporada da liga norte-americana de formas opostas. Henry, de 36 anos, campeão da Copa do Mundo da França, em 1998, curte a […]

Arquivo Publicado em 24/02/2014, às 15h11

None
894253597.jpg

Júlio César está passando duas semanas na Disney, em Orlando. Não como turista. Ele é atração, assim como o atacante francês Thierry Henry. Porém, os dois ícones do futebol moderno estão encarando a pré-temporada da liga norte-americana de formas opostas. Henry, de 36 anos, campeão da Copa do Mundo da França, em 1998, curte a fama relaxado. Quer apenas entrar em forma para cumprir o último ano de um contrato milionário na América do Norte, pelo New York Red Bulls. Já o goleiro da seleção brasileira deixou bem claro que não está alí para se divertir. Não foi um grande contrato que atraiu Júlio César, de 34 anos, para o Toronto F.C. Pelo contrário. “Eu abri mão de situações minhas pra chegar a um acordo com meu antigo clube (o Queens Park Rangers, da Inglaterra). Tudo isso por um sonho. Chegou a hora de eu retribuir o que o Felipão e o Parreira vêm fazendo por mim”, explicou Júlio César.


Ao garantir a convocação de Júlio César para a Copa com nove meses de antecedência, Felipão pretendia dar fim aos questionamentos sobre o goleiro reserva do Queens Park Rangers ser o titular da seleção. Porém, Júlio César nunca se sentiu à vontade. E cogitou até mesmo deixar de lado a segurança e o conforto que a família tinha na Inglaterra para retornar ao futebol brasileiro. Apenas para ter a oportunidade de jogar e se apresentar bem preparado à seleção. “Chegou um momento em que não dava pra escolher muito”, revelou o goleiro. “O que viesse seria muito bem vindo. Conversei com alguns clubes no Brasil, mas não chegamos a nenhum acordo. Conversei também com alguns clubes na Europa. E acabou que apareceu o Toronto como uma novidade pra mim e eu acabei aceitando. O clube está crescendo e a MLS também.”


O Toronto F.C. e a Major League Soccer não divulgam detalhes de contratos de jogadores. Mas Júlio César revelou ao Blog que deve retornar a Toronto depois da Copa. “A princípio, assinei contrato de empréstimo até o final de dezembro. Eu tenho um contrato em vigor com o Queens Park Rangers também. Então, é uma coisa a ser discutida somente após a Copa.”


O Queens Park Rangers, hoje na segunda divisão inglesa, continua pagando parte dos salários do goleiro brasileiro. A MLS tem uma séria política de teto salarial, que permite apenas três exceções por clube. Antes de Júlio César, o Toronto F.C. já havia contratado o atacante da seleção inglesa Jermain Defoe, o volante da seleção americana Michael Bradley e o brasileiro Gilberto, ex-atacante da Portuguesa e do Inter, para ocupar essas três vagas.


Durante os próximos quatro meses, que antecedem a Copa, tão importante quanto jogar será evitar e até mesmo tratar possíveis lesões corretamente. Júlio se diz seguro em Toronto. “A estrutura é maravilhosa, o centro de treinamentos é maravilhoso. O treinador de goleiros é muito bom, estou tendo a oportunidade de trabalhar com a bola que vai ser a bola da Copa. Uma série de coisas positivas, das quais eu tenho que tirar proveito da melhor maneira possível.”


Depois de ter sido eleito o melhor goleiro da Copa das Confederações de 2013, ajudando a seleção na conquista do título, Júlio César passou oito meses sem jogar regularmente. Tempo suficiente para fomentar em muitos brasileiros o receio de que talvez ele não se apresentasse bem preparado para a Copa. Contudo, há poucos dias, o ex-goleiro Marcos, campeão da Copa de 2002, defendeu Júlio César como titular da seleção, principalmente para enfrentar a pressão de se disputar uma Copa no Brasil. “O Marcos, além de ter feito uma carreira brilhante como goleiro e de ter sido o ultimo goleiro campeão mundial, vindo da parte dele, pra mim é motivo de muito orgulho. Me sinto lisonjeado”, disse Júlio César. “Tive oportunidade de estar com o Marcão agora na Copa das Confederações e conversamos bastante. Inclusive conversamos muito sobre essa situação de pressão de jogar no país. É um cara que vem sempre me apoiando e agradeço muito.”


Um dos líderes do time comandado por Luiz Felipe Scolari, Júlio César comemorou a recuperação de uma lesão do atacante Fred, do Fluminense, considerado por Felipão outro homem de confiança de Felipão, a tempo de participar do amistoso do próximo dia 5 de março, contra a África do Sul, em Joanesburgo. “No período de Copa das Confederações, Felipão escolheu os jogadores de confiança”, afirmou Júlio. “Devem estar faltando cinco ou seis jogadores para fechar a lista. Acredito que o grupo esteja praticamente fechado na cabeça dele. Todo treinador trabalha com um leque de jogadores de confiança.” Ele, Júlio César, é a maior prova disso.

Jornal Midiamax