Geral

Juiz Odilon de Oliveira diz que não será candidato por falta de segurança para campanha

O juiz federal Odilon de Oliveira afirmou há pouco, em seu perfil no facebook, que não disputará nenhum cargo nestas eleições. Convidado por diversos partidos para disputar algum cargo, desde deputado estadual a governador, no pleito de 2014, o juiz diz se manter no judiciário para não por a vida em risco na campanha. “Eu […]

Arquivo Publicado em 06/04/2014, às 19h07

None

O juiz federal Odilon de Oliveira afirmou há pouco, em seu perfil no facebook, que não disputará nenhum cargo nestas eleições. Convidado por diversos partidos para disputar algum cargo, desde deputado estadual a governador, no pleito de 2014, o juiz diz se manter no judiciário para não por a vida em risco na campanha.

“Eu próprio afirmei que, aos 65 anos de idade e 53 de serviço, deixaria a magistratura para disputar um cargo eletivo. Agora, não mais. Motivo principal: segurança pessoal durante a campanha, por conta de risco de vingança”, explica.

Ele conta no post que em 15 de janeiro deste ano, oficiou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para encaminhar expediente ao Ministro da Justiça, se a escolpa policial que o protege se manteria na aposentadoria.

Segundo ele, a burocracia retardou a tramitação e a resposta não veio. Devido a isso, passou o tempo para deixar o cargo de juiz (até 6 meses antes das eleições), e aventurar-me em campanha, na região de fronteira, sem segurança, seria alto risco.

“Minha família, maior tesouro, não deixou. Entendo que minha segurança pessoal deve continuar enquanto for necessária após a aposentadoria, pois os riscos que enfrentarei decorrem de minha atuação, durante décadas, como juiz criminal.
Troquei minha liberdade pela defesa da sociedade. Assim sendo, o Brasil não pode me descartar, como roupa velha, jogando-me à disposição dos malfeitores de quem confisquei tanta riqueza, processei, condenei e coloquei na prisão durante décadas”, finaliza o texto.

Em janeiro deste ano, o juiz federal tinha afirmado que estava analisando os convites recebidos de diversos partidos políticos para ser candidato, mas que aguardava concretizar sua aposentadoria para concorrer ao cargo eletivo, já que como juiz ele não pode ser filiado a nenhum partido.

Jornal Midiamax