Geral

Jovens ateiam fogo em morador de rua no centro de Curitiba

Dois jovens atearam fogo em um morador de rua na noite desta quinta-feira (5) no centro de Curitiba. A vítima, de aproximadamente 40 anos, foi salva por um motorista que passava pelo local. Ele usou o extintor do carro para apagar as chamas. Socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) levaram o homem […]

Arquivo Publicado em 06/06/2014, às 15h46

None

Dois jovens atearam fogo em um morador de rua na noite desta quinta-feira (5) no centro de Curitiba. A vítima, de aproximadamente 40 anos, foi salva por um motorista que passava pelo local. Ele usou o extintor do carro para apagar as chamas.


Socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) levaram o homem ao hospital em estado grave, com queimaduras principalmente na região da cabeça. Os autores do crime não foram identificados.


O episódio ocorreu por volta das 22h30 na rua Pedro Ivo, próximo à esquina com a Desembargador Westphalen. Testemunhas relataram terem visto dois rapazes se aproximarem do morador de rua, que estava dormindo, e ater fogo com um isqueiro. Um galão de gasolina foi encontrado no local.


Quando vítima começou a gritar e se bater em desespero, várias pessoas tentaram ajudá-lo, inclusive clientes de uma barraca de cachorro-quente que fica na esquina, mas não conseguiram apagar o fogo. Então um motorista parou o carro e usou o extintor do veículo.


Ambulâncias do Samu e do Corpo de Bombeiros foram acionadas. O homem foi levado ao Hospital Evangélico de Curitiba, especialista em tratamento de queimaduras, e internado na UTI de queimados em estado gravíssimo. Segundo o hospital, ele não portava documentos.


Os jovens fugiram do local. A polícia ainda não tem pistas que possam levar aos agressores.


Casos do gênero têm ocorrido, em média, uma vez ao ano em Curitiba. Em 2012, Ygor Holowska, 30, foi atacado na rua Desembargador Ermelino de Leão e teve queimaduras de segundo grau no tórax e nas mãos. Em fevereiro do ano passado, outro morador de rua foi queimado às margens do canal do Rio Belém, no bairro Centro Cívico.


No Brasil, um caso de grande comoção mais recente ocorreu em Brasília, em agosto passado, quando um morador de rua teve 63% do corpo queimado e morreu três dias depois do ataque. A polícia prendeu um suspeito de 18 anos e apreendeu dois adolescentes: uma garota de 17, filha de um policial, e um rapaz de 15, oriundos de famílias de classe média.

Jornal Midiamax