Geral

Igrejinha reclama e liga das escolas de samba não divulga resultado do Carnaval 2014

Apesar de a Vila Carvalho já estar comemorando o título de campeã do Carnaval 2014 no barracão da escola de samba, o resultado ainda não foi homologado. A decisão de não divulgar e não homologar o resultado das escolas se deu depois que a Igrejinha, que ficaria em segundo lugar, reclamou da nota dada ao […]

Arquivo Publicado em 05/03/2014, às 12h58

None

Apesar de a Vila Carvalho já estar comemorando o título de campeã do Carnaval 2014 no barracão da escola de samba, o resultado ainda não foi homologado. A decisão de não divulgar e não homologar o resultado das escolas se deu depois que a Igrejinha, que ficaria em segundo lugar, reclamou da nota dada ao quesito mestre sala e porta bandeira.

Assim que foi anunciada a nota do terceiro jurado – 6,00 – os integrantes da agremiação começaram a vaiar e gritar xingamentos contra os jurados, juízes e a própria Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande).

O anúncio da nota baixa foi o estopim para que os integrantes começassem a confusão e ameaçassem invadir o local destinado a diretoria das escolas de Samba.

A confusão só não continuou porque homens da tropa de choque da Polícia Militar e até da cavalaria interviram para que o palco não fosse tomado pelos manifestantes.

Sem resultado

Integrante da diretoria da escola, Osvaldo Pimenta de Abreu, 55 anos, advogado, subiu ao palco e conversou diretamente com Eduardo Souza Neto, para que o resultado não fosse homologado.

“Como integrante da diretoria da Igrejinha peço verbalmente que o resultado não seja homologado. Amanhã até às 17 horas apresentarei por escrito os motivos da nossa solicitação”. A Lienca acatou o pedido e anunciou que não homologaria o resultado, mas que também não divulgaria os números. O que mais uma vez irritou a diretoria da Igrejinha e de outras agremiações.

Protesto

Homens da tropa de choque montaram uma barricada humana para evitar que a Concha Acústica da Praça do Rádio fosse invadida pelos manifestantes.

Diretores das agremiações protestaram contra a não divulgação do resultado, mesmo este não estando homologado. “O protesto é para que dê o resultado. Igrejinha que entre com recurso depois”, avaliou o presidente da Vila Carvalho José Carlos de Carvalho, 70 anos.

Falta de critério

A Igrejinha reclamou que falta critérios avaliativos e por isso não aceita a nota 6,00 que lhe foi dada. “As fantasias montadas são de primeira linha, todas com plumas. Como dois jurados dão dez e um dá seis no mesmo quesito? Teve escola de samba que desfilou com pluma sintética e recebeu nota dez. Falta parâmetro de avaliação”, diz Osvaldo Pimenta de Abreu, um dos diretores da escola.

Jornal Midiamax