Geral

Igrejinha faz protesto no Centro da Capital questionando notas recebidas em apuração

Os integrantes da Escola de Samba Igrejinha realizaram um protesto na Praça Ary Coelho no começo da tarde deste sábado (8). A agremiação contesta duas notas recebidas nos quesitos ‘comissão de frente’ e ‘mestre-sala e porta-bandeira’. Segundo o presidente da escola de Samba, Paulo Freire Thomaz, não está sendo questionado o resultado, mas eles reivindicam […]

Arquivo Publicado em 08/03/2014, às 16h18

None
916156203.jpg

Os integrantes da Escola de Samba Igrejinha realizaram um protesto na Praça Ary Coelho no começo da tarde deste sábado (8). A agremiação contesta duas notas recebidas nos quesitos ‘comissão de frente’ e ‘mestre-sala e porta-bandeira’.


Segundo o presidente da escola de Samba, Paulo Freire Thomaz, não está sendo questionado o resultado, mas eles reivindicam uma posição da Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande (Lienca) com relação uma maior lisura no recrutamento dos jurados.


“Não queremos menosprezar nenhuma agremiação ou o vencedor. Mas se isso não acontecesse, a Igrejinha era campeã. É preciso fazer uma reflexão, pois isso pode provocar o afastamento da Igrejinha do carnaval”, diz.


Conforme o presidente da agremiação, o resultado questionável causa problemas com patrocinadores e afeta a credibilidade da Escola de Samba e do carnaval de Campo Grande. “Como que vamos levar esse resultado mais uma vez à comunidade. Tem gente que quer desistir. Desmotiva todo mundo. ”, comenta.


O presidente da Escola de Samba diz ainda que caso o resultado seja homologado, a escola poderá na justiça, pois para realização do carnaval é utilizada verba pública. Entre os problemas apontados por Thomaz para a confusão com relação às notas seria regulamento falho.


Apuração – Na apuração realizada na última quarta-feira (5), as notas baixas causaram a ira dos integrantes da escola que por pouco não invadiram a área reservada à diretoria das escolas e o palco onde estava a mesa da comissão organizadora. As notas questionadas são as da comissão de frente 10; 10 e 7 e de mestre sala e porta bandeira 10, 10 e 6.

Jornal Midiamax