Geral

Hotéis precários e aluguel astronômico preenchem Itaquera

A reportagem passou uma tarde nos arredores da Arena Corinthians e uma das coisas que mais chamou a atenção foi a precariedade dos hotéis mais próximos ao estádio. Em um raio de 1 km em volta do complexo esportivo, nenhum sequer oferece condições boas para abrigar turistas ou visitantes no período da Copa do Mundo. […]

Arquivo Publicado em 05/05/2014, às 12h08

None

A reportagem passou uma tarde nos arredores da Arena Corinthians e uma das coisas que mais chamou a atenção foi a precariedade dos hotéis mais próximos ao estádio. Em um raio de 1 km em volta do complexo esportivo, nenhum sequer oferece condições boas para abrigar turistas ou visitantes no período da Copa do Mundo. Justamente por isso moradores e donos de imóveis abusam dos aluguéis, principalmente por volta da época da competição.


A reportagem visitou algumas pousadas localizada na Avenida Itaquera, uma das mais próximas ao estádio. Nenhuma delas se preparou para o Mundial. No Hotel Vip, por exemplo, um funcionário informou que o gerente pretende vender o estabelecimento o quanto antes e que não existe promoção ou divulgação especial para quartos visando a Copa. “Ninguém ligou pedindo reservas ainda”, disse ele. Já o Hotel Palace Itaquera, por sua vez, não possui endereço eletrônico e muito menos pretende lucrar com o Mundial. “Aí é mais um local para ‘hospedagem rápida’, de uma ou duas horas”, insinuou um vizinho.


Paulo Mello, 62 anos, que aluga para outra pessoa o lugar compreendendo o hotel em questão, afirmou à reportagem: “o espaço aqui é bom, o sujeito (que alugou) poderia ter feito uma reforma, alguma coisa para melhorar e focar nisso (do Mundial). Mas não fez nada”. O empreendedor continuou dizendo que não viu reformas significativas em Itaquera para o setor de hotelaria. “Os principais hotéis que conheço ficam longe daqui, nenhum no bairro mesmo”, definiu ele, que trabalha há 20 anos por ali.


A reportagem ainda rondou Itaquera em busca de apartamentos para locação e só confirmou o aumento do metro quadrado após o “boom” da Copa. Em março de 2002, o valor era de R$ 2.202,80, de acordo com o Sindicato da Habitação. Já no início deste ano, o número estava em R$ 3.787,00, o que representa um aumento de quase 60% .


“O imóvel em Itaquera está absurdo, aqui é zona leste de São Paulo, não é um bairro desenvolvido da zona sul”, reclamou Diana do Nascimento, moradora da comunidade da Vila da Paz. “Recebemos telefonemas de clientes que querem vir durante a Copa, mas a maioria se assusta com os preços”, disse Regina Lopes, funcionária de imobiliária localizada próxima da Arena.


Mesmo assim, Itaquera continua tendo um dos imóveis mais baratos da capital paulista. O preço médio do metro quadrado no município, em janeiro, era de R$ 7.815. Só Arthur Alvim, outro bairro da Zona Leste de São Paulo, tem valor menor que o bairro onde está a Arena Corinthians – o preço por lá estava em R$ 3.456. Como comparação, a Zona Oeste surge com opções com números três vezes maiores. Jardim Paulistano, por exemplo, está em R$ 11.212,00. Os números são do Índice FipeZap.


Para o caso de locação de imóvel durante a competição, que dura entre os meses de junho e julho, os valores ganham números estratosféricos. O Terra pesquisou pela região e viu de tudo. Como um humilde sobrado, a 15 minutos a pé do estádio, que cobrava R$ 35 mil por todo o período da Copa. O imóvel em questão tinha dois quartos com TV de 20 polegadas, sala de estar, cozinha, um banheiro, serviço de Wi-Fi e garagem. Traslado do aeroporto para até seis pessoas também estava incluído.


Já uma casa na quadra ao lado, por outro lado, não era tão modesta e exigia mais que o triplo do valor, ou R$ 110 mil. Localizado a 1,3 km da Arena, o local é seguro: fica quase ao lado do 32º DP de Polícia Civil de Itaquera. O imóvel ainda diz comportar até 12 visitantes em seus três dormitórios e cômodos distribuídos em 170m², com direito a ar condicionado, TV LCD de 50 polegadas, área para churrasqueira e serviços de cozinheira, lavanderia e arrumadeira incluídos no valor.


Por outro lado, a reportagem ainda viu muitas placas anunciando venda dos apartamentos. Um sobrado modesto com vista para a Arena Corinthians anunciava por R$ 480 mil à vista. Já outra casa que antes do estádio tinha seu valor girando em torno de R$ 200 mil agora vale, de acordo com o dono, R$ 500 mil. Entretanto, os corretores de imóveis que conversaram com a reportagem disseram que a escassez de interessados fará com que os preços retornem a valores mais acessíveis com o tempo.


Vale lembrar que a Arena Corinthians só irá receber seis jogos da Copa do Mundo. A estreia entre Brasil e Croácia, dia 12 de junho; Uruguai x Inglaterra, dia 19; Holanda x Chile, dia 23; Coreia do Sul x Bélgica, dia 26; um confronto das oitavas de final envolvendo o líder do Grupo F e o vice da chave E, dia 1 de julho, e um dos duelos da semifinal, marcado para o dia 9. Caso a Seleção se classifique em primeiro e chegue às semis, atua em Itaquera.

Jornal Midiamax