Geral

Homem que tentou matar chefe de segurança no interior de MS deveria estar internado para tratamento psiquiátrico

Felismão Yarzon, de 66 anos de idade que foi preso depois de atingir três pessoas tentar matar o chefe de segurança e ex-policial militar José Fonseca, em Porto Murtinho, na última terça-feira (4), deveria estar internado no Hospital Nosso Lar, em Campo Grande desde o dia 17 de fevereiro. A família apresentou na delegacia uma […]

Arquivo Publicado em 06/03/2014, às 11h47

None

Felismão Yarzon, de 66 anos de idade que foi preso depois de atingir três pessoas tentar matar o chefe de segurança e ex-policial militar José Fonseca, em Porto Murtinho, na última terça-feira (4), deveria estar internado no Hospital Nosso Lar, em Campo Grande desde o dia 17 de fevereiro.

A família apresentou na delegacia uma determinação judicial, assinado pela juíza Samantha Ferreira Barione, onde está especificado que o município de Porto Murtinho e o Estado de Mato Grosso do Sul internassem Felismão Yarzon em 24 horas,no Hospital Nosso Lar em Campo Grande.

De acordo com o boletim de ocorrências, às 17h Yarzon estava na Avenida Rio Branco, centro de Porto Murtinho, tentando atingir as pessoas que passavam pelo local com um facão.

Fonseca, que fazia a segurança na matine do Carnaval tentou dialogar com o agressor, mas foi surpreendido com um golpe que lhe atingiu o pescoço. A vítima foi levada ao hospital, passou por cirurgia e recebeu 30 pontos no local do ferimento.

Yarzon foi preso em casa, levado ao hospital e em seguida encaminhado para a delegacia da cidade.

Jornal Midiamax