Geral

Há dois anos alugando casa onde mora para festas, proprietária se vê surpreendida com pancadaria

Uma casa localizada na Rua Saragana, no Jardim Panamá, ficou totalmente destruída após ter sido realizado um baile funk no local. A proprietária da casa, que não quis se identificar, disse à reportagem que há dois anos aluga o imóvel para festas e que nunca havia acontecido nada parecido. Na madrugada uma confusão se armou […]

Arquivo Publicado em 06/04/2014, às 13h53

None

Uma casa localizada na Rua Saragana, no Jardim Panamá, ficou totalmente destruída após ter sido realizado um baile funk no local. A proprietária da casa, que não quis se identificar, disse à reportagem que há dois anos aluga o imóvel para festas e que nunca havia acontecido nada parecido.

Na madrugada uma confusão se armou do lado de fora e um grupo que gritava “facção oeste” invadiu a residência causando uma enorme confusão. A casa ficou toda destruída. Os blindex foram quebrados, a máquina de levar destruída e até um ventilador encontrado na piscina.

A proprietária, que mora na residência, conta que alugou a casa por R$ 650,00 e que os organizadores cobraram R$ 30,00 de entrada. A festa teria começado às 22h30 e a venda de bebidas liberada às 23h30.

Ela conta que assim que o evento começou foi para a casa do namorado e que o filho teria ficado para ajudar e também para cuidar o imóvel. “Deixei alguns ambientes que poderiam ser usados na casa”, diz, afirmando que não imaginava que tamanha confusão pudesse acontecer.

Quando foi por volta das 2h30, conforme o filho dela, começou uma confusão do lado de fora. Dois seguranças tentaram dispersar os baderneiros e espirraram spray de pimenta. O problema é que os jovens estavam armados e começaram a atirar invadindo a festa.

Algumas pessoas passaram mal com o spray de pimenta e Thiago Moreira dos Santos, de 20 anos, levou um tiro e caiu a 10 metros da casa. Outro senhor, que provavelmente seria um dos seguranças, Valmir Martinelli, de 58 anos, machucou o rosto.
“Eu estava no bar quando vi a muvuca. Entrei em uma lavanderia que tem porta e me fechei com outras pessoas”, conta o filho da proprietária, afirmando que pouco antes de a confusão começar, por volta da 1 hora da manhã, estava tudo tranqüilo e que inclusive teria saído com os organizadores para comprar mais bebida já que havia acabado. “Quando foi 1h sai da festa para comprar mais bebidas. Compramos R$ 470 e na volta ainda estava tranquilo. A confusão começou às 2h30, do lado de fora”, enfatiza ele.

Ele afirma ainda que começou a ligar para a polícia às 2h31, mas o socorro chegou apenas às 3h40.

Jornal Midiamax