Geral

Fique de olho: candidatos não podem ir a reuniões, mas podem fazer carreatas

Os candidatos que concorrem nas eleições do próximo domingo (5) não podem, desde esta quinta-feira (2), participar de debates, comícios, reuniões públicas. Saiba a quem denunciar crimes eleitorais.

Arquivo Publicado em 03/10/2014, às 14h56

None
1905365640.jpg

Os candidatos que concorrem nas eleições do próximo domingo (5) não podem, desde esta quinta-feira (2), participar de debates, comícios, reuniões públicas. Saiba a quem denunciar crimes eleitorais.

Os candidatos que concorrem nas eleições do próximo domingo (5) não podem, desde esta quinta-feira (2), participar de debates, comícios, reuniões públicas e veiculação de qualquer propaganda política no rádio e na televisão.


Os debates realizados no último dia permitido para o 1.º turno poderiam se estender até as 7 horas desta sexta-feira (3).


Apesar de não poderem participar de comícios nem reuniões políticas, os candidatos podem  até às 22h deste sábado (4) distribuir material de campanha, participar de caminhada, carreata, passeata ou ter carros de som que transitem pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos, observados os limites impostos pela legislação comum.


Também está liberado o uso de alto-falantes e amplificadores de som, nas sedes e dependências dos partidos políticos, coligações e comitês de candidatos; a colocação de cavaletes, bonecos, cartazes, mesas para distribuição de material de campanha e bandeiras ao longo das vias públicas, desde que móveis e que não dificultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos.


Qualquer irregularidade pode ser denunciada no site do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) neste link.


Whatsapp: Fale com os jornalistas do Midiamax


O leitor pode enviar as imagens pelo Whatsapp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviadas com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax