Geral

Feriado do “Dia do Trabalho” registra primeira morte em rodovia de Mato Grosso do Sul

Chuva e falta de visibilidade foram os fatores que acarretaram no acidente fatal na saída para São Paulo. Uma pessoa morreu e outra ficou ferida, e teve que ser socorrida para a Santa Casa de Campo Grande

Arquivo Publicado em 01/05/2014, às 12h18

None
2040395974.jpg

Chuva e falta de visibilidade foram os fatores que acarretaram no acidente fatal na saída para São Paulo. Uma pessoa morreu e outra ficou ferida, e teve que ser socorrida para a Santa Casa de Campo Grande

Às 7h15, desta quinta-feira (1º de maio – Dia do Trabalho), foi registrado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) o primeiro acidente fatal na rodovia. O caso aconteceu no km 447, da BR-163, a sete quilômetros do Posto 21 dos policiais rodoviários. 

As vítimas foram identificadas como o aposentado, Edmundo Bartnikovski, de 93 anos, e a mulher Ana Pires Dartenikovftai, de 77 anos. O casal era passageiro da Hilux, placas HDZ-5242, de Vila Rica (MT). 
Edmundo morreu no local. Já a mulher, que está ferida, foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada à Santa Casa de Campo Grande, onde segue internada. Seu quadro de saúde é estável. 
O filho da vítima, o militar da reserva, José Dartenikovftai, de 54 anos, era o condutor do veículo. Ele contou que mora em Vila Rica, em Mato Grosso. “Vim pra cá ver minha família. Ontem levei meus pais para a cidade de Dourados, onde tenho irmãos. Após a visita, hoje, por volta das 4h30, saímos de lá. Eles moram no Bairro Nova Lima, região norte da Capital”, conta. 
Apesar de lúcido, José está abalado com a fatalidade. “Não sei como aconteceu. No meio do caminho a chuva ficou mais intensa e de repente perdi o controle do carro”, tenta explicar. 
De acordo com a PRF, o veículo teria rodado na pista, caído no acostamento que tem o nível mais baixo que a rodovia. Com isso, a caminhonete tombou, e o aposentado ficou preso as ferragens.
No mesmo veículo havia um quarto passageiro, Reginaldo Adão Pereira, de 50 anos, que é amigo da família, mas que não sofreu lesões. 
Segundo o motorista todos os ocupantes da Hilux estavam de cinto de segurança. “A estrada estava calma e vazia e eu estava na velocidade permitida, estava tudo tranquilo”, frisa. 
No momento do acidente não havia outro veículo na pista, além disso, o trecho é de subida, porém os policiais não descartam que a causa do acidente esteja ligada ao mau tempo, que causa falta de visibilidade na pista e aquaplanagem, ocasionados pela chuva.
Jornal Midiamax