Geral

Familiares sentem-se aliviados com encontro do corpo de professora mas estranham vodca

O encontro do corpo da professora Maria Lúcia Freitas Lima, de 53 anos, na manhã de terça-feira (4), em um terreno baldio no bairro Nova Lima, deixou familiares aliviados, mas ao mesmo tempo consternados com a confirmação de sua morte. O filho Edi Carlos Freitas Lima, de 35 anos, gerente de relacionamento, fez questão de […]

Arquivo Publicado em 05/02/2014, às 13h56

None
2036284596.jpg

O encontro do corpo da professora Maria Lúcia Freitas Lima, de 53 anos, na manhã de terça-feira (4), em um terreno baldio no bairro Nova Lima, deixou familiares aliviados, mas ao mesmo tempo consternados com a confirmação de sua morte.

O filho Edi Carlos Freitas Lima, de 35 anos, gerente de relacionamento, fez questão de agradecer a todos os que se empenharam na busca por sua mãe, que estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro.

“Nós estamos aliviados porque termina a agonia. Quando fui à delegacia vi cartazes de pessoas que estão sendo procuradas há mais de cinco anos e não há qualquer notícia. Imagino como fica a família delas. No nosso caso estamos tristes com a perda de uma pessoa querida, mas pelo menos temos uma conclusão do caso”, afirmou.

Edi acompanhou todo o trâmite para a liberação do corpo de sua mãe e confirmou que está descartada a hipótese de assassinato. Ele apenas estranhou o encontro da garrafa de vodca ao lado do corpo de mãe, pois segundo ele, ela não bebia.

O velório acontece na capela localizada na esquina das ruas 13 de Maio com a Dolor Ferreira de Andrade no bairro São Francisco e o sepultamento está marcado para as 16h.

Jornal Midiamax