Geral

Familiares hostilizam procurador em evento sobre a Boate Kiss

Representantes do Ministério Público (MP) foram pressionados, questionados e até hostilizados por familiares das vítimas da Boate Kiss, na noite deste domingo, durante o congresso realizado para lembrar um ano da tragédia, na cidade de Santa Maria. O subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais do MP, Marcelo Dorenelles, foi indagado sobre por que o Ministério […]

Arquivo Publicado em 27/01/2014, às 00h44

None

Representantes do Ministério Público (MP) foram pressionados, questionados e até hostilizados por familiares das vítimas da Boate Kiss, na noite deste domingo, durante o congresso realizado para lembrar um ano da tragédia, na cidade de Santa Maria. O subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais do MP, Marcelo Dorenelles, foi indagado sobre por que o Ministério Público arquivou o processo de improbidade administrativa contra a prefeitura, apesar dos indícios apresentados no inquérito policial.

“O senhor conhece a lei?”, “eu lhe empresto meus óculos para que possa ler”, foram algumas das colocações feitas pelos familiares. “Aceitamos todas as críticas, inclusive as injustas que venham dos senhores. Não vamos questionar nenhuma, reconhecemos o sentimento, a dificuldade que vocês enfrentam…”, disse Dornelles, sendo que ao final afirmou que houve “desrespeito”.

Os advogados da Associação dos Familiares das vítimas apresentaram também informações sobre licenças e documentação da boate, ao que Dornelles pediu que as informações fossem formalizadas para que obtivessem caráter oficial. “Se precisa de um fato novo para rever (a denúncia), esta aqui o fato novo”, disse o advogado Luiz Fernando Smaniotto.

Atualmente, o MP aguarda novas informações que devem constar em dois inquéritos policiais, a serem concluídos em fevereiro, para decidir se o processo será arquivado ou não.

Jornal Midiamax