Geral

Facebook mostra anúncios de nudez e armas a adolescentes

O Facebook está mostrando anúncios inapropriados para adolescentes, segundo o Wall Street Journal. Propagandas envolvendo nudez e armas foram relatadas pelo jornal americano. Um anúncio, por exemplo, convidava adolescentes a baixar um aplicativo chamado llikeq, que permite que outras pessoas classifiquem a beleza dos adolescentes, comentem em suas fotos e digam se gostariam de n...

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 18h41

None

O Facebook está mostrando anúncios inapropriados para adolescentes, segundo o Wall Street Journal. Propagandas envolvendo nudez e armas foram relatadas pelo jornal americano.

Um anúncio, por exemplo, convidava adolescentes a baixar um aplicativo chamado llikeq, que permite que outras pessoas classifiquem a beleza dos adolescentes, comentem em suas fotos e digam se gostariam de namorá-los. Ao clicar no anúncio, Erica Lowder, de 14 anos, teve sua página do Facebook exposta para adultos online.

Em resposta ao Wall Street Journal, o Facebook disse que aprovou o anúncio para adolescentes, porque o aplicativo não era categorizado como um site de namoro. A rede social disse que desabilitou as propagandas do app para menores de 18. O co-fundador do llikeq, Olda Neuberger, disse que o app não é de namoro online, mas confirmou que mudou a ferramenta para excluir os usuários abaixo de 18 anos.

Outros casos reportados foram o de uma garota de 14 anos que curtiu um anúncio que a levou para uma página do Facebook de um site de modelos nuas pela webcam, e a de um adolescente de 17 anos, que mora em um bairro conhecido pela violência de armas, e que viu anúncios de um coldre de armas diversas vezes.

O Facebook disse que leva a sério a qualidade das propagandas e que, por conta do volume enorme de anúncios que são submetidos à rede social, investe em ferramentas manuais e automáticas que obrigam o cumprimento da sua política, além de ferramentas que educam os anunciantes. Assim que postados, os anúncios também podem ser classificados como inapropriados pelos usuários para serem revisados novamente. A empresa teve uma receita de cerca de US$ 7 bilhões em publicidade na internet no ano passado.

Jornal Midiamax