Geral

Fabricantes de chips para smartphones cortam custos

Fornecedores de processadores para smartphones estão dando um passo pouco usual em ajudar clientes a adquirir outros componentes de telefonia, tais como alto-falantes e lentes de câmeras, em uma tentativa de ganhar mais negócios em um setor cada vez mais competitivo. A demanda por chips de smartphones, necessários para suportar as capacidades que variam de […]

Arquivo Publicado em 13/06/2014, às 12h54

None

Fornecedores de processadores para smartphones estão dando um passo pouco usual em ajudar clientes a adquirir outros componentes de telefonia, tais como alto-falantes e lentes de câmeras, em uma tentativa de ganhar mais negócios em um setor cada vez mais competitivo.


A demanda por chips de smartphones, necessários para suportar as capacidades que variam de reconhecimento de voz a fotografias com flash, está crescendo, em parte devido a um aumento do segmento de telefones mais simples e com muitas funcionalidades.


Nesse mercado, os aparelhos com preço abaixo de US$ 150 foram responsáveis por quase 70% de todos os smartphones vendidos no 1º trimestre deste ano, informa a empresa de pesquisa IDC.


O foco nos custos ampliou a concorrência entre os fabricantes de chips como a Qualcomm e MediaTek. Além de cortar preços, eles também estão reduzindo despesas das fabricantes de celular para descoberta e testes de alto-falantes e lentes de câmera que tiram o máximo proveito de seus chips de áudio e fotografia.


“No passado, a Qualcomm ofereceria apenas os chips e o fabricante fazia todo o dispositivo,” diz o diretor sênior de gerenciamento de produtos da Qualcomm, David Tokunaga, à Reuters.


Enquanto os fabricantes de celulares correm para impulsionar aparelhos mais baratos com recursos anteriormente reservados para os modelos premium, eles precisam manter seus custos sob controle enquanto incorporam mais chips em seus modelos de nível inferior.


Oferecer chips, hardware e até mesmo o design do telefone ajudou a taiwanesa MediaTek a capturar metade do mercado chinês para chips de smartphones, de acordo com um analista.


“A MediaTek deixa todos os componentes prontos para o cliente, então tudo o que o fabricante tem a fazer é colocá-lo junto ao telefone”, afirma o analista da SinoPac Securities, Sherman Shang.


As vendas globais de smartphones com preço abaixo de US$ 150 devem crescer 17% por ano até 2018, disse Simor Segars, presidente-executivo da ARM Holdings, que desenvolve chips encontrados em quase todos os smartphones.


Em comparação, telefones com preço entre US$ 150 e US$ 300 devem crescer 14%, e aqueles acima de US$ 300 apenas 4%, afirmou ele.

Jornal Midiamax