Geral

Fábio Trad defende criação da CPI da Petrobras para fiscalizar gastos públicos

O deputado federal Fábio Trad (PMDB) defendeu a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista da Petrobras por causa da extensão do valor divulgado. “O valor chega a ser três vezes maior na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. É preciso saber para onde foi tanto dinheiro público”, declarou nesta quinta-feira (27). […]

Arquivo Publicado em 27/03/2014, às 13h42

None
1644521165.jpg

O deputado federal Fábio Trad (PMDB) defendeu a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista da Petrobras por causa da extensão do valor divulgado. “O valor chega a ser três vezes maior na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. É preciso saber para onde foi tanto dinheiro público”, declarou nesta quinta-feira (27).

Trad disse que os deputados Geraldo Rezende (PMDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) também votaram a favor da abertura da Comissão. O deputado disse que Mandetta teria lhe contado que o deputado Reinaldo Azambuja (PSDB) também votou a favor.

“A Petrobras foi comprada como uma empresa do povo, para o povo. Não podemos deixar que o assunto fique sem investigação”, concluiu.

Segundo a oposição, já foram coletadas 28 assinaturas de senadores e 143 de deputados (83% do total) para criar a CPI mista. Para que seja aberta uma comissão desse tipo, com investigações no Senado e Câmara dos Deputados, são necessárias pelo menos 171 assinaturas de deputados e outras 27 de senadores.

A compra da refinaria pela Petrobras é alvo de investigação do Ministério Público, da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União por suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas.

A CPI, segundo documento que pede sua criação, vai investigar quatro negociações suspeitas da Petrobras: a aquisição da refinaria de Pesadena por US$ 1,18 bilhão; indícios de pagamento de propina a funcionários da petroleira pela companhia holandesa SBM Offshore; denúncias de que plataformas estariam sendo lançadas ao mar sem equipamentos primordiais de segurança; indícios de superfaturamento na construção de refinarias.

Jornal Midiamax