Geral

Ex-gestor da Funasa afirma que irregularidade apontada pelo TCU foi sanada

O ex-superintendente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Mato Grosso do Sul, Flávio da Costa Britto Neto, afirmou nesta quarta-feira (25) que sanou a irregularidade apontada pelo Tribunal de Contas da União, e que coloca o ex-gestor na lista de gestores públicos estaduais que tiveram suas contas rejeitadas pelo órgão. De acordo com o […]

Arquivo Publicado em 25/06/2014, às 18h46

None

O ex-superintendente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Mato Grosso do Sul, Flávio da Costa Britto Neto, afirmou nesta quarta-feira (25) que sanou a irregularidade apontada pelo Tribunal de Contas da União, e que coloca o ex-gestor na lista de gestores públicos estaduais que tiveram suas contas rejeitadas pelo órgão.

De acordo com o relatório do TCU, datado em 13 de maio deste ano, sobre a prestação de contas da Funasa durante o exercício de 2008, período em que Britto estava à frente da administração, houve uma irregularidade quanto ao pagamento de R$ 75.007,71 de “diárias a colaboradores eventuais no País” para funcionários contratados por intermédio da ONG Missão Caiuá e demais terceirizados para prestação de serviços de natureza continua, contrariando ao artigo 4ª da Lei nº 8.162/1991.

Após as justificativas do ex-superintendente e demais servidores arrolados no relatório, o relator José Jorge apresentou o acórdão nº 2.068/2014, em que consta que as justificativas apresentadas por Flávio Britto foram rejeitadas com aplicação de multa no valor de R$ 3 mil a ser pago até o dia 7 de junho.

Britto observou que com o pagamento da multa, a irregularidade apontada pelo TCU foi sanada. “Eu não sabia que meu nome estava na lista, e por isso, encaminhei um ofício ao relator do TCU para a retirada do meu nome, uma vez que a irregularidade foi sanada”, disse o ex-gestor.

Atualmente, Flávio Britto, que já ocupou o cargo de diretor da Fundesporte, coordena a campanha do deputado federal Geraldo Rezende (PMDB).

Jornal Midiamax