O Ministério da Defesa da China denunciou nesta terça-feira a “hipocrisia” dos Estados Unidos depois que o Departamento de Estado americano acusou cinco militares chineses de ciberespionagem industrial, reporta a rede BBC. “Do WikiLeaks até o caso Snowden [Edward, ex-analista responsável por vazamentos que comprovam a espionagem americana], a hipocrisia e os dois pesos e duas medidas dos Estados Unidos em termos de cibersegurança são conhecidos há muito tempo”, afirma um comunicado do ministério.

Nesta segunda-feira, um tribunal federal americano acusou cinco militares da China de pirataria em computadores dos Estados Unidos para beneficiar as empresas públicas chinesas. Segundo a Justiça dos EUA, os chineses roubaram segredos comerciais de cinco empresas americanas – Westinghouse Electric, US Steel, Alcoa, Allegheny Technologies, SolarWorld – e também do sindicato da área de siderurgia. O Departamento de Justiça identificou as pessoas que estão sendo procuradas como: Wang Dong, Sun Kailiang, Wen Xinyu, Huang Zhenyu e Gu Chunhui.

“A suposta ‘rede de espionagem industrial’ é uma pura invenção dos Estados Unidos, uma tentativa de enganar a população com segundas intenções”, informa a nota da Defesa chinesa, em referência a existência de um prédio de doze andares nos arredores de Xangai que seria a sede dos hackers que trabalham para o Exército chinês. O Ministério da Defesa acrescentou que o Exército da China tem sido alvo de muitos ataques virtuais e “um número razoável” das ações partiu de endereços IP americanos – IP é a sigla para internet protocol e cada computador possui um único, que pode ser rastreado e identificado. Para a China, o pedido de prisão dos cinco oficiais chineses “danificam severamente a confiança mútua” entre Pequim e Washington.

Nesta terça, um relatório da agência estatal Xinhua informa que entre março e maio deste ano, um total de 1,18 milhão de computadores na China foram diretamente controlados por 2.077 máquinas nos Estados Unidos por meio de vírus conhecidos como ‘Cavalo de Troia’ ou programas ‘Malware’ – ambas modalidades de ataque cibernético que instalam programas sorrateiramente em computadores e permitem o acesso de dados ou o controle das máquinas por terceiros.

A iniciativa dos EUA é tida mais como um protesto simbólico, uma vez que as chances de que algum deles seja extraditado e levado a julgamento nos Estados Unidos são praticamente inexistentes. De qualquer forma, esta é a primeira vez que os Estados Unidos processam hackers acusando-os de terem trabalhado sob a chancela de um determinado Estado, com intenção deliberada de prejudicar uma nação que teve seus computadores invadidos.