Geral

EUA: Homem fica proibido de usar a web após falsos anúncios em nome da vizinha

Um juiz de Waterford (Wisconsin, EUA) proibiu um homem de utilizar a internet, depois que ele fez falsos anúncios online usando a identidade de sua vizinha. Jason Willis, 31, foi condenado nesta semana a 30 meses de liberdade condicional, período no qual deverá ficar offline – ele tem 30 dias para desconectar o serviço em […]

Arquivo Publicado em 14/02/2014, às 14h51

None

Um juiz de Waterford (Wisconsin, EUA) proibiu um homem de utilizar a internet, depois que ele fez falsos anúncios online usando a identidade de sua vizinha. Jason Willis, 31, foi condenado nesta semana a 30 meses de liberdade condicional, período no qual deverá ficar offline – ele tem 30 dias para desconectar o serviço em sua casa.

“Seu conceito de brincadeira é muito diferente”, afirmou ao canal “TMJ4” a vítima, que não teve o nome revelado. Em novembro de 2012, quatro homens foram até a casa dela, atendendo a falsos anúncios em busca de parceiros publicados no site “Craigslist”. Um deles estava nu, coberto apenas por um casaco.

“Ele [o visitante] tinha meu nome completo e meu endereço. Ele disse ‘peguei no Craigslist, você colocou lá'”, contou. Durante as investigações, foram identificadas diversas fotos e informações dessa mesma mulher em diferentes sites. A polícia chegou até Willis, que foi detido.

Não há informações sobre os motivos que o levaram a fazer as publicações, nem o tipo de relacionamento entre os dois.

Ao “TMJ4”, o juiz Allan Torhorst explicou que proibiu o homem de acessar a internet porque ele usou a rede como uma “arma”. “Se você quer dirigir bêbado, você não poderá dirigir”, comparou. Caso o homem descumpra a ordem e se conecte antes do prazo permitido, ele pode pegar um ano e meio de prisão.

Jornal Midiamax