Geral

EUA: casal espera horas por comida e dá gorjeta de US$ 100 para garçom

Um casal recebeu um péssimo tratamento em um restaurante em Iowa, nos Estados Unidos, e decidiu fazer algo diferente. Em vez de chamar o gerente e reclamar de tudo, os dois, que já trabalharam servindo mesas quando eram mais jovens, deixaram uma gorjeta de US$ 100 (aproximadamente R$ 240), 150% o valor da conta, de […]

Arquivo Publicado em 01/10/2014, às 11h54

None
1901269712.jpg

Um casal recebeu um péssimo tratamento em um restaurante em Iowa, nos Estados Unidos, e decidiu fazer algo diferente. Em vez de chamar o gerente e reclamar de tudo, os dois, que já trabalharam servindo mesas quando eram mais jovens, deixaram uma gorjeta de US$ 100 (aproximadamente R$ 240), 150% o valor da conta, de US$ 66,65 (R$ 160) para o garçom que os atendeu.

“Levou 20 minutos para recebermos água, 40 minutos para chegarem os aperitivos, e mais de uma hora para chegar a entrada. As pessoas em volta estavam zoando o restaurante e o péssimo serviço. Sim, foi terrível”, contou Makenzie Schultz em seu perfil no Facebook. “Mas era muito claro que o problema era que não havia funcionários suficientes, e não que o garçom era ruim. Ele estava correndo como um louco e era sempre gentil, com todas as mesas. E eram 12 mesas, mais o bar.”

Mackenzie e seu marido, Steven, lembraram da época em que trabalhavam em restaurantes e se solidarizaram com o garçom, que estava mais do que sobrecarregado. “Vi ele correndo e se desculpando pela demora e disse pro Steve: ele é a gente no passado! Eu não sinto falta de ser garçonete, nunca amei o trabalho, na verdade, eu fazia por causa das gorjetas. E a gente concordou que seria bom fazer a noite dele valer a pena.”

Os dois pensaram que como o serviço estava horrível, provavelmente nenhuma mesa iria dar uma gorjeta boa pro rapaz e decidiram compensar, dando US$ 100. “Saímos antes de ele ver a gorjeta, e não estou postando isso para aparecer, estou compartilhando isso como um lembrete para sempre olharmos a situação como um todo, antes de julgarmos, e sempre, sempre lembramos das nossas origens.”

E você, será que também faria isso? Ou reclamaria muito no Twitter?

Jornal Midiamax