Geral

EUA: 52% desaprovam gestão de Obama da crise no Iraque

Uma nova pesquisa divulgada nesta segunda-feira revelou que cerca de 52% dos americanos desaprovam a condução da crise no Iraque por parte do presidente Barack Obama, o que revela um descontentamento generalizado com a condução da política externa por parte do governo dos Estados Unidos. A pesquisa conjunta do jornal The New York Times e […]

Arquivo Publicado em 24/06/2014, às 14h56

None
1394736802.jpg

Uma nova pesquisa divulgada nesta segunda-feira revelou que cerca de 52% dos americanos desaprovam a condução da crise no Iraque por parte do presidente Barack Obama, o que revela um descontentamento generalizado com a condução da política externa por parte do governo dos Estados Unidos.


A pesquisa conjunta do jornal The New York Times e da rede de televisão CBS indica que 58% dos americanos desaprovam os rumos da política externa de Obama, um aumento de 10 pontos em relação ao mês passado e o nível mais alto desde que o democrata assumiu o poder em 2009.


A pesquisa reflete que a insatisfação é especialmente evidente entre os correligionários democratas de Obama, com quase um terço deles descontentes com a forma com a qual a Casa Branca lida com a política externa.


O New York Times opinou que a diminuição do apoio ao presidente, tanto entre democratas como republicanos, ameaça minar as ambições políticas de sua Administração nos dois anos e meio de governo que restam.


Segundo a pesquisa, 54% reprovam o governo Obama, um aumento de seis pontos desde maio. O índice de aprovação do presidente está agora em 40%. Apesar da pouca popularidade do chefe de Estado, 51% dos entrevistados declararam que estão de acordo com sua decisão recente de enviar 300 assessores militares ao Iraque, que deverão avaliar e assessorar as forças de segurança iraquianas para fortalecer sua capacidade.


Além disso, 56% apoiam o uso de drones no Iraque, uma das opções que a Casa Branca tem na manga para fazer frente à ameaça dos insurgentes sunitas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isis, sigla em inglês).


A grande maioria dos americanos acredita que o futuro do Iraque é importante para os EUA e dois terços dos entrevistados consideram que o presidente não explicou com clareza os objetivos americanos no país.


Entre os republicanos, 54% são favoráveis ao uso de drones para atacar alvos determinados no Iraque, enquanto entre os democratas o apoio a essas ações chega a 38%.


A maioria dos republicanos considera também que Obama deveria tomar mais medidas para combater a escalada da violência no Iraque, enquanto os democratas tendem a pensar que o presidente está fazendo o suficiente.


Pouco mais da metade do país é favorável a uma cooperação limitada com o Irã para tentar resolver a onda de violência no Iraque. Os iranianos apoiam o governo xiita de Bagdá, mas o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, é contrário a uma intervenção por parte dos Estados Unidos na crise para impedir o avanço dos extremistas sunitas.


A pesquisa divulgada nesta segunda-feira foi feita entre os dias 20 e 22 de junho, por telefone, com 1.009 adultos e tem margem de erro de três pontos percentuais.

Jornal Midiamax