Geral

Estrutura de concreto desaba em Maceió e fere cinco pessoas

Uma estrutura de concreto que armazenava trigo no bairro do Poço, na zona sul de Maceió, desabou no meio da tarde desta segunda-feira, deixando pelo menos cinco pessoas feridas. A assessoria do Hospital Geral do Estado chegou a confirmar a morte de um dos feridos, mas voltou atrás mais tarde, negando a informação. Pelo menos […]

Arquivo Publicado em 08/04/2014, às 00h53

None

Uma estrutura de concreto que armazenava trigo no bairro do Poço, na zona sul de Maceió, desabou no meio da tarde desta segunda-feira, deixando pelo menos cinco pessoas feridas. A assessoria do Hospital Geral do Estado chegou a confirmar a morte de um dos feridos, mas voltou atrás mais tarde, negando a informação.

Pelo menos 20 pessoas foram soterradas, segundo levantamento extraoficial dos bombeiros. O vice-prefeito de Maceió, Marcelo Palmeira (PP), está na região para avaliar os estragos. O secretário de Infraestrutura de Maceió, Roberto Fernandes, não acredita que haja soterrados. “A direção do moinho nos informou que nenhum funcionário foi atingido pelos escombros”, disse.

Cinco pessoas foram encaminhadas com ferimentos para o Hospital Geral do Estado. Uma delas está em estado grave.

Segundo testemunhas, a estrutura de concreto, que tem cerca de 30 metros de altura, desabou de repente. A estrutura pertence a um moinho chamado Motrisa. A região está completamente isolada.

“Meu carro estava estacionado no moinho, quando de repente ficou totalmente soterrado de concreto e trigo. Fiquei assustado, porque eu tenho uma filha de 2 anos. Graças a Deus, ela não estava comigo”, afirmou Thiago Teixeira, que estava próximo ao local do acidente. “Eu estava em um cartório que funciona ao lado, quando ouvimos um estrondo. Saí correndo porque pensei que um amigo meu, que estava do lado de fora havia sido atingido. Meu amgio está bem. Só vi destruição”, diz Pedro Canuto, outra testemunha.

Segundo o secretário de Infraestrutura, a prefeitura disponibilizou os equipamentos necessários para fazer o resgate e a limpeza da avenida Comendador Leão. “O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) informou que todos os médicos que estavam de folga foram recrutados para o local do acidente. Três médicos estão na região”, afirmou.

A empresa Motrisa, proprietária do moinho, informou que vai se pronunciar por meio de uma nota que será divulgada em jornais tanto em Alagoas, quanto no Rio Grande do Sul, onde fica a sede da empresa.

Jornal Midiamax