Geral

Estiagem traz queimadas e mobiliza equipes dos bombeiros até em fazenda da Capital

Somente até a tarde deste sábado (21), ao menos quatro casos foram registrados; na BR-163, bombeiros passam a tarde tentando conter fogo em uma fazenda, enquanto novos focos surgiam na região.

Arquivo Publicado em 21/06/2014, às 19h44

None
451194738.jpg

Somente até a tarde deste sábado (21), ao menos quatro casos foram registrados; na BR-163, bombeiros passam a tarde tentando conter fogo em uma fazenda, enquanto novos focos surgiam na região.


Bastaram alguns dias de estiagem para elevar o número de queimadas registradas em Campo Grande. Somente neste sábado (21), até o meio da tarde o Corpo de Bombeiros havia atendido ao menos quatro solicitações para apagar focos de incêndio próximos a residências, um deles, de maiores proporções, em uma fazenda na região da saída para Cuiabá.


Equipes dos Bombeiros foram acionadas por volta das 13h para controlar incêndio às margens da BR-163, próximo ao Córrego Botas, na saída para a capital mato-grossense. Já passava das 16h e o fogo ainda não tinha sido controlado, devido aos ventos e à dificuldade de acesso ao local, enquanto outros focos surgiam nas proximidades.


Segundo o sargento Monteiro, ao menos duas viaturas estiveram na Fazenda Dom Rodrigo, área do incêndio. Ainda não se sabe a origem do fogo, que começou por volta das 12h.

O fogo tomou grandes proporções devido aos ventos e há muita fumaça nas proximidades. Foram necessários 800 litros de água para conter o incêndio, que atingiu um are de vegetação (1000 m²).

Umidade do ar

Neste sábado, a umidade relativa do ar registrada na Capital é de 47%, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). A tendência é que esta média diminua no domingo (22).

Com a umidade baixa, o fogo em plantações acaba sendo mais difícil de controlar. Ainda assim, nessa época do ano são registrados muitos focos de incêndio em terrenos baldios e matagais. A população costuma utilizar o fogo para “limpar” as áreas para se desfazer de folhas e galhos.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a umidade ideal compreende entre 50% e 80%. A indicação é que a população não queime lixo e plantações, pois a fumaça pode ser muito prejudicial à saúde.

Jornal Midiamax