Geral

Enviado da ONU à Crimeia cancela missão depois de ameaças

O enviado da ONU Robert Serry decidiu cancelar sua missão na região ucraniana da Crimeia nesta quarta-feira depois de ter sido ameaçado por homens armados, indicou à AFP um assessor que viaja com ele. As Nações Unidas protestaram pelo fato de seu enviado, ao chegar à Crimeia, ter sido ameaçado por homens armados não identificados, […]

Arquivo Publicado em 09/03/2014, às 23h10

None

O enviado da ONU Robert Serry decidiu cancelar sua missão na região ucraniana da Crimeia nesta quarta-feira depois de ter sido ameaçado por homens armados, indicou à AFP um assessor que viaja com ele.

As Nações Unidas protestaram pelo fato de seu enviado, ao chegar à Crimeia, ter sido ameaçado por homens armados não identificados, mas negou relatos de que ele havia sido sequestrado.

O secretário-geral adjunto da ONU, Jan Eliasson, declarou aos jornalistas que Robert Serry foi abordado por homens armados fora de um quartel-general naval.

Pouco antes, o ministério das Relações Exteriores da Ucrânia informou que Serry havia sido detido por homens armados não identificados em Simferopol, capital da Crimeia.

Serry foi enviado a esta região parcialmente controlada por comandos armados pró-russos para fazer um balanço da situação para a ONU.

A Crimeia fica no sul da Ucrânia e é de maioria russa. Tropas de Vladimir Putin desembarcaram na região na última semana com o pretexto de proteger os cidadãos, que têm sofrido ameaças. Desde então a Rússia tem sido alvo de fortes pressões internacionais, especialmente dos Estados Unidos e de países europeus.

O presidente russo, Vladimir Putin, por outro lado, negou na última terça-feira que forças russas estejam cercando as bases militares na Crimeia, e afirmou que apenas “forças locais de autodefesa” estão no local.

Jornal Midiamax