Geral

Entidades se reúnem e marcam nova data para discutir grafitagem no muro do Maria Constança

Entidades civis e autoridades se reuniram na tarde de ontem (27) na Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul para discutirem a respeito do projeto Grafite Legal, que tinha como objetivo grafitar o muro da Escola Maria Constança de Barros, que é alvo constantemente de pichações. Segundo a assessoria de imprensa da fundação, a […]

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 18h42

None

Entidades civis e autoridades se reuniram na tarde de ontem (27) na Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul para discutirem a respeito do projeto Grafite Legal, que tinha como objetivo grafitar o muro da Escola Maria Constança de Barros, que é alvo constantemente de pichações.

Segundo a assessoria de imprensa da fundação, a reunião de ontem foi a primeira de muitas que ainda devem ocorrer até que algo definitivo seja traçado. “De novo o que temos é uma nova data de reunião, que acontecerá em 13 de março, às 14h30, na própria escola”, explica a assessoria.

A assessoria pontua que contrários e favoráveis a ação de grafitagem expuseram suas ideias e ponderações, mas que nada de concreto foi definido. Entre os contrários a ação, a assessoria pontua que foi explicado que a grafitagem não seria uma solução viável para evitar as pichações porque vai de contra ao tombamento da escola. “O muro também esta incluído no tombo. O que se alega e que qualquer intervenção que se faça vai competir com a arquitetura do prédio”.

Já os favoráveis lembram que o grafite é uma arte urbana e de socialização que vem sem usada em vários lugares, principalmente na educação.

O arquiteto Ângelo Arruda que é contrário a ação parabenizou em seu facebook todos os envolvidos na reunião, lembrando que tudo está sendo feito de forma democrática. “Em casa após uma importante reunião sobre o grafite nos muros do Colégio Estadual Maria Constança. Parabenizo o Américo Calheiros, Presidente da Fundação de Cultura pela condução democrática da reunião e de abrir para ouvir a sociedade e as entidades”, avaliou.

Cerca de 30 pessoas participaram das discussões, entre FCMS, Policia Militar, Polícia Civil, direção da Escola Maria Constança de Barros, envolvidos no Projeto Grafite Legal, Iphan (Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e Instituto de Arquitetos de MS.

O caso

Segmentos da sociedade se posicionaram contrariamente ao Grafite Legal, projeto que troca a pichação pela arte nos muros da Escola Estadual Maria Constança de Barros Machado, e a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e a diretoria do colégio decidiram suspender a pintura que ocorreria no último sábado e domingo (22 e 23).

O diretor da Escola Estadual Maria Constança de Barros Machado, Anderson Soares Muniz, pontua que a escola não vai desistir, mas que de forma democrática quer integrar diferentes pensamentos. “Vamos buscar uma solução para este problema e entendemos que a as oficinas de arte e o grafite são alternativas de combate à pichação utilizando a cultura e a educação”, frisa.

O projeto Grafite Legal conta com o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, do apresentador Tatá Marques, do SBT/MS e da Construtintas. Além de contar com obras de artistas reconhecidos, prevê a participação de alunos do próprio colégio que já passaram por oficinas de pintura grafite.

Jornal Midiamax