Geral

Enfermeiros protestam contra superlotação e ameaçam parar no Hospital Regional

Enfermeiros que atuam no Hospital Regional fizeram nesta sexta-feira (6) um ato em frente do Pronto de Atendimento Médico (PAM) reivindicando medidas para melhorar as condições de trabalho. Segundo o presidente do SISTSS-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social em Mato Grosso do Sul), Ricardo Alexandre Bueno, a superlotação que a unidade enfrenta tem causado […]

Arquivo Publicado em 06/06/2014, às 16h54

None
402332549.jpg

Enfermeiros que atuam no Hospital Regional fizeram nesta sexta-feira (6) um ato em frente do Pronto de Atendimento Médico (PAM) reivindicando medidas para melhorar as condições de trabalho. Segundo o presidente do SISTSS-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social em Mato Grosso do Sul), Ricardo Alexandre Bueno, a superlotação que a unidade enfrenta tem causado sobrecarga no trabalho dos enfermeiros.

Ricardo explicou que o Regional recebe pacientes de postos de saúde, e de outras unidades hospitalares, que encaminham casos de menor complexidade ao HR. “O Regional é de média e alta complexidade e deve atender o Estado inteiro, e essas demandas que deveriam ser atendidas em postos de saúde, estão encaminhando para cá”, afirmou o presidente do sindicato.

A categoria definiu que hoje às 14h30 devem se reunir com a diretoria do Hospital para tomar medidas paliativas para resolver o problema de forma imediata, como alteração do decreto que para permitir carga horária acima de 60 horas e contratação emergencial de funcionários.

“Trata-se de uma questão emergencial porque se trata de saúde pública”, disse Ricardo. O presidente do sindicato informou que o Regional tem 67 leitos, mas chega a atender acima do número que comporta. “Com isso, os enfermeiros perdem qualidade no trabalho, porque se estressam mais, ficam mais cansados”, argumentou.

A reunião será na sede do Hospital Regional.



Jornal Midiamax