Embratel, Net e Claro devem se consolidar em sociedade única até fim do ano

A Embratel e a Net disseram nesta sexta-feira (1º) que esperam concluir sua consolidação em uma única sociedade, em operação que também envolve a operadora móvel Claro, até o fim de 2014. As empresas são a ramificação brasileira do grupo de telecomunicações América Móvil, que pertence ao bilionário mexicano Carlos Slim, o homem mais rico […]
| 01/08/2014
- 19:01
Embratel, Net e Claro devem se consolidar em sociedade única até fim do ano

A Embratel e a Net disseram nesta sexta-feira (1º) que esperam concluir sua consolidação em uma única sociedade, em operação que também envolve a operadora móvel Claro, até o fim de 2014.

As empresas são a ramificação brasileira do grupo de telecomunicações América Móvil, que pertence ao bilionário mexicano Carlos Slim, o homem mais rico do mundo, segundo a “Forbes”.

Segundo comunicado divulgado pela Embratel e pela Net, não há planos de que a Telmex Solutions (que controla diretamente a Embrapar, que, por sua vez, controla a Embratel e Net) abra o capital no fim da operação.

Claro vai obter registro de companhia aberta

Apesar de não haver planos para abrir o capital da controladora, a Claro deve pedir registro de companhia aberta na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Na véspera, o membro do conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Igor de Freitas, afirmou que a abertura de capital está prevista para a operação, mas sem lançamento de ações em Bolsa.

Freitas afirmou que a obrigação de abertura de capital imposta à operadora é uma exigência da legislação brasileira que trata das concessões de telefonia fixa.

Isso porque a reorganização proposta prevê que a Claro assumirá a concessão da Embratel nos serviços de telefonia fixa nas modalidades de longa distância.

Reembolso

Como a controladora Telmex vai continuar fechada, será conferido aos acionistas de Embrapar, Embratel e Net direito de recesso, mediante reembolso do valor de suas ações.

O valor do reembolso a ser pago aos acionistas corresponderá à maior cifra entre o valor de patrimônio líquido e o valor econômico de suas ações, informaram as companhias, acrescentando que o montante será determinado por laudo de avaliação.

As companhias acrescentaram que vão criar comitês especiais independentes para negociar as condições da operação, formados integralmente por não-administradores.

Últimas notícias