Geral

Em Mato Grosso do Sul, meta do horário de verão foi superada

O resultado está no volume da energia consumida: 9.722 MWh, quase 12%  mais que o previsto no início do horário de verão compreendido entre 19 de outubro de 2013  a 16 de fevereiro de 2014. Para efeitos de comparação, essa quantidade economizada corresponde ao consumo de um mês das cidades de São Gabriel do Oeste […]

Arquivo Publicado em 16/02/2014, às 23h30

None
1888842263.jpg

O resultado está no volume da energia consumida: 9.722 MWh, quase 12%  mais que o previsto no início do horário de verão compreendido entre 19 de outubro de 2013  a 16 de fevereiro de 2014. Para efeitos de comparação, essa quantidade economizada corresponde ao consumo de um mês das cidades de São Gabriel do Oeste e Jardim, juntas. Outra referência relevante foi a redução da demanda no horário de ponta, que vai das 18 às 21 horas. Para uma previsão de 4,5% o consumo foi 4,2%.


Tudo isso só foi possível porque o Mato Grosso do Sul foi incluído nas regiões em que todos os setores, tais como indústria, comércio e serviço público adiantaram, durante 119, os horários de atividade para aproveitar melhor a luz natural.


Neste período, relativo ao horário de verão, os dias são mais longos do que as noites por causa da posição da terra em relação ao sol e a luminosidade natural pode ser mais bem utilizada.  Isso proporciona uma redução na demanda máxima do sistema elétrico em função do deslocamento do pico de carga para além do habitual. O principal, benefício da redução da demanda é aotimização do sistema elétrico – decorrente do menor carregamento nas linhas de transmissão, subestações, sistemas de distribuição de energia – e a redução de geração  térmica. A diminuição da demanda de ponta permite ainda poupar a água dos reservatórios das hidrelétricas, que deverão estar bem abastecidos para quando iniciar o período de seca.


O ajuste nos ponteiros dos relógios, adiantando em uma hora, por exemplo, evita com que o acionamento da iluminação pública, nesse período, venha coincidir com o horário de ponta. Além disso, percebem-se modificações nos hábitos da população, que pode aproveitar melhor a luz natural. Empenhada em contribuir para que o País atinja a meta do horário de verão, a Enersul também estimula o consumidor a repensar suas atitudes e hábitos relacionados ao consumo de energia elétrica, o que amplia as possibilidades de, cada um,  economizar energia, principalmente nesse período.


Para isso, é fundamental combinar a influência do horário de verão com outros fatores. Entre eles, destacam-se os hábitos racionais e o uso de equipamentos eficientes, que possuem o selo Procel. Além disso, para quem vai construir ou reformar, é fundamental buscar o desenvolvimento de projetos inteligentes, que permitam o melhor aproveitamento possível da luz e ventilação naturais, por exemplo.


Neste ciclo, 2013/ 2014, o horário de verão abrangeu os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, onde a hora que foi adiantada em sessenta minutos terá que ser retroagida no primeiro minuto de domingo, dia 16,  para o horário convencional, ou seja, atrasando os relógios em 1 hora. As informações são da Gerência de Comunicação da Enersul.

Jornal Midiamax