Geral

Em dois meses de ação DOF já apreendeu 4.200 munições, 160 quilos de drogas, R$ 288 mil e 4 veículos em Maracaju

No início de janeiro o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), por determinação do secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, deflagrou em Maracaju (MS) uma operação com o objetivo de coibir a criminalidade no município e região. Nesses dois primeiros meses de ação em 2014, na região, o […]

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 17h28

None

No início de janeiro o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), por determinação do secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, deflagrou em Maracaju (MS) uma operação com o objetivo de coibir a criminalidade no município e região.

Nesses dois primeiros meses de ação em 2014, na região, o DOF, que atua em conjunto com a Força Nacional, já apreendeu 4.200 munições, sendo 3.200 calibre 38, 500 calibre 32, 250 calibre 380 e 250 calibre 9mm. Também foram tirados de circulação 160 quilos de drogas, sendo mais de 147 de maconha e mais de 12 de cocaína, quatro veículos que transportavam drogas foram apreendidos.

A quantia de R$ 288 mil em dinheiro não declarado foi apreendida, da mesma forma que 335 pacotes de cigarros e 50 quilos de confecções diversas, todos contrabandeados do Paraguai. Um veículo roubado foi recuperado pelo DOF em Maracaju. Ato todo foram presas seis pessoas por tráfico de drogas e uma por contrabando.

De acordo com o diretor do DOF, coronel Edilson Osnei Nazareth Duarte, durante as ações, que não têm prazo determinado para acabar, estão sendo realizados bloqueios policiais e policiamento motorizado itinerante, abordagens a ônibus, caminhões, veículos de passeio e motos.

“As rondas diárias estão sendo realizadas não só na área rural do município, mas também no perímetro urbano, onde contamos com o apoio das polícias civil e militar”, explica o coronel Duarte.

Segundo o secretario Wantuir Jacini, as ações tiveram início em 1º de janeiro deste ano e contam com equipes do DOF e uma da Força Nacional, que trabalha sob coordenação do DOF. “Nós tomamos conhecimento que Maracaju estava servindo de corredor para o tráfico de drogas e armas, bem como que parte do entorpecente e armamento estava ficando na cidade. De imediato atuamos para combater esses crimes”, afirma o secretário, que não descarta a possibilidade da mesma ação ser realizada de forma incisiva e intensa também em outros municípios.

Jornal Midiamax