Geral

Direto do passeio para o trabalho, bermudas invadem o ambiente corporativo na Capital

Com os termômetros comumente entre 30⁰C e 40⁰C não é fácil trabalhar com roupas formais. A onda de calor que atinge o Brasil entra para história também pelas consequências no armário corporativo dos homens. Assim como em grandes capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, algumas empresas da capital Morena já aderiram à onda […]

Arquivo Publicado em 14/02/2014, às 19h50

None
180672359.jpg

Com os termômetros comumente entre 30⁰C e 40⁰C não é fácil trabalhar com roupas formais. A onda de calor que atinge o Brasil entra para história também pelas consequências no armário corporativo dos homens. Assim como em grandes capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, algumas empresas da capital Morena já aderiram à onda da bermuda.

Na Íris Comunicação o uso da bermuda é permitido há muito tempo. O publicitário Célio Araujo Junior, 24 anos, conta que já passou por muitas empresas e a maioria delas não permitia. Para ele, a liberação faz muita diferença.

“A permissão de usar ou não vai muito da filosofia do dono da empresa. Aqui, muito antes de se falar disso já era permitido. Os funcionários ficam mais a vontade e isso ajuda, inclusive, na produção de cada um”, salienta.

Mas apesar da conquista masculina, já que ele lembra que as mulheres sempre puderam usar saias e vestidos, o publicitário pontua que há de se ter alguns cuidados. “É conquista dos homens. Temos muito pelos, sentimos mais calor. A bermuda ajuda a aliviar este calor infernal que está fazendo. Mas quando vou lidar com cliente, tenho alguma reunião, alguma coisa que preciso passar a seriedade que a função requer não venho de bermuda”, explica, lembrando que nem todos estão habituados à novidade.

A empresária de moda Clarissa Faria pontua que apesar de a novidade estar pegando em muitas capitais, aqui em Campo Grande ele não viu nenhuma empresa mais formal aderir a moda. Por isso, há de se ter cuidado antes de ir colocando a bermuda. “Não vejo alguns ambientes, como escritórios de advocacia, sistema S, por exemplo, entre outros, aderindo. Por isso, há que se pensar bem antes de tirar a bermuda do armário e levar para o trabalho”, pontua.

Grandes Centros

Em cidade como o Rio de Janeiro é autorizado o uso de bermudas na altura do joelho para servidores municipais, motoristas de táxis, ônibus, vans, kombis credenciadas e cobradores de ônibus. A permissão é válida até 31 de março.

Em São Paulo, capital famosa pelo número de empresas, a medida também começou a ser adotada. Até o Tribunal de Justiça de São Paulo desobrigou o uso de terno e gravata em suas dependências e nos Fóruns de Justiça do Estado. Conforme determinação do presidente do TJ-SP, desembargador José Renato Nalini, o uso ficará facultativo até 21 de março.

No Groupon, por exemplo, o uso de trajes mais despojados sempre foi aceito. O diretor de Comunicação e Marketing da empresa, Tomás Penido, conta que desde 2010, quando o Groupon abriu um escritório no Brasil, nunca existiu um dress code específico ’bermudas e roupas leves são permitidas normalmente’, conta.

Segundo Tomás, a empresa trabalha com 2 filosofias: ‘Fazer a vida menos chata’ e ‘Ótimas pessoas fazem ótimas empresas’. ‘Acreditamos que os colaboradores são ótimas pessoas, responsáveis, que vão produzir mais e melhor por estarem à vontade no escritório.’

Já no Grupo Ibope, a bermuda não fazia parte do dress code dos funcionários, até a última segunda-feira (12), quando a empresa lançou um comunicado liberando a peça aos homens.

Cristiano Varjão, diretor executivo de finanças e administrativo do Ibope, responsável por implementar a ação na empresa, conta que a alta temperatura na cidade foi a mola propulsora para a tomada da decisão. “Estamos querendo, cada vez mais, promover um ambiente de trabalho mais confortável, flexível e informal. Nós acreditamos que as pessoas mais a vontade produzem melhor.”

Dicas


  • Na empresa não deve-se usar short, mas sim bermuda em comprimento que deve variar de 2 a 3 dedos acima do joelho;
  • Evite estampas muito grandes, muitos bolsos e muitos botões. Lavagem exagerada e rasgos também não são bem vindos.
  • Evite bermuda em tecido tactel. Opte pelo jeans, pela sarja, linho e o algodão;
  • Procure não usar tênis esportivo. Opte pelos mais sociais, de couro.
  • Para as camisetas, Luciana sugere as polos que são mais formais e camisas de algodão e/ou malha porque são mais esportivas;
  • Cuide para que a camiseta não seja de time ou com estampas exageradas. Opte pelas cores mais sóbrias, como branco, cinza e azul;
  • Não use regatas ou decote em V muito aberto.

(Com informações do Estadão)

Jornal Midiamax