Geral

Dieta com redução de sódio deve focar alimentos certos, defende especialista

Na busca por uma dieta com consumo controlado de sódio, muitas pessoas acabam cortando alimentos que acreditam ter muito sódio, quando na verdade não o tem. Por outro lado, acabam descuidando no consumo de produtos que realmente impactam o organismo, alerta o cardiologista Carlos Scher. As bebidas diets, por exemplo, são apontadas equivocadamente como tendo […]

Arquivo Publicado em 01/05/2014, às 13h31

None
2069179045.jpg

Na busca por uma dieta com consumo controlado de sódio, muitas pessoas acabam cortando alimentos que acreditam ter muito sódio, quando na verdade não o tem. Por outro lado, acabam descuidando no consumo de produtos que realmente impactam o organismo, alerta o cardiologista Carlos Scher.


As bebidas diets, por exemplo, são apontadas equivocadamente como tendo alto teor de sódio. O cardiologista alerta para o perigo de “mirar no inimigo errado”, já que para uma pessoa chegar ao limite de consumo de sódio (2.400mg) com refrigerante, ela precisaria “se entupir” da bebida.


“O refrigerante zero tem cerca de 30mg de sódio em um copo de 200 ml. Quanto tem em uma fatia de queijo minas? São 358mg de sódio”, alerta o cardiologista após ressaltar que o queijo minas é considerado saudável e está presente em grande parte dos sanduíches vegetarianos.


“Na água mineral também tem sódio, e a quantidade varia de acordo com a fonte. Porém, não é nada que gere contraindicações”, destaca o cardiologista.


Para Scher, existem alimentos mais danosos para a saúde e esses sim deveriam ser evitados como enlatados, embutidos e alimentos prontos. “Para alguns alimentos, não houve mudança com relação à redução do sódio em sua composição. Para as batatas fritas, por exemplo, nada mudou. O teor do nutriente foi mantido alto”, ressalta.


Ele lembra que alimentos tradicionalmente evitados por serem associados ao sódio muitas vezes representam risco muito baixo em relação a outros alimentos.


“Cerca de 20% a 30% do sal presente nos alimentos não é percebido pelo consumidor. Dados mostram que 71% dos alimentos prontos para crianças têm mais sal do que o recomendado”, ressalta Scher.

Jornal Midiamax