Geral

Dia D para Ceni: teste dirá se goleiro jogará último Majestoso no domingo

Uma história que começou em 1994 e que todos esperam que tenha seu último capítulo neste domingo. Neste sábado, Rogério Ceni fará um teste no gramado do CT da Barra Funda para saber se terá condições de disputar o seu 64º e último clássico diante do Corinthians, adversário que mais enfrentou na carreira como profissional, […]

Arquivo Publicado em 20/09/2014, às 12h47

None

Uma história que começou em 1994 e que todos esperam que tenha seu último capítulo neste domingo. Neste sábado, Rogério Ceni fará um teste no gramado do CT da Barra Funda para saber se terá condições de disputar o seu 64º e último clássico diante do Corinthians, adversário que mais enfrentou na carreira como profissional, iniciada em 1993.


Com uma tendinite no joelho esquerdo, o camisa 1 não enfrentou o Coritiba, no meio de semana e, desde quinta-feira, está “internado” no Reffis do CT da Barra Funda para fazer tratamento intensivo. Neste sábado, a previsão dos médicos é de que ele vá ao gramado para treinar com os companheiros, o que garantiria sua presença no duelo de domingo, que será realizado na casa do rival.


O Corinthians fez parte de dois dos maiores momentos da vida esportiva de Ceni. Foi no dia 27 de março de 2011, na Arena Barueri, em duelo válido pelo Campeonato Paulista, que o goleiro, em cobrança de falta, marcou o centésimo gol de sua carreira. Foi diante do alvinegro que ele conquistou uma das maiores goleadas da carreira: 5 a 1 no Brasileiro de 2005, resultado que provocou a demissão do então técnico argentino Daniel Passarella. Mas foi o mesmo Corinthians que provocou a maior derrota de sua carreira: 5 a 0, no Brasileiro de 2011. Veja vídeos desses jogos abaixo:


Ceni e o Corinthians se enfrentam pela primeira vez no dia 11 de junho de 1994, em amistoso válido pela Taça da Solidariedade, que terminou com a vitória alvinegra, por 4 a 1, nos pênaltis. Desde então, Ceni enfrentou o rival mais 62 vezes. No total, foram 20 vitórias, 20 empates e 23 derrotas, com 91 gols sofridos. O camisa 1 marcou três gols e ainda defendeu cinco pênaltis em 20 batidos pelo adversário.


Todos no clube torcem para que Ceni esteja em campo. Muricy Ramalho afirmou que se trata de um jogo especial por ser o último, mas não esconde a preocupação com a contusão do seu capitão.


“Para ele ter ficado fora na quarta-feira, é porque a coisa é séria. O Rogério, se tiver 10% de chance, sempre joga. Sabemos que o jogo de domingo é especial por ser o último clássico contra o Corinthians, mas é impossível dizer se ele joga”, ressaltou o treinador.


Agora é esperar. Caso seja vetado, Ceni será substituído por Denis.

Jornal Midiamax